Verão 2022: Diversidade nas passarelas SS21 promete moda democrática. Veja looks!

A diversidade na passarela é o futuro da moda. E grandes marcas, como Versace, Chanel, Fendi, Balmain e Marni, demonstraram que entenderam essa tendência ao apresentarem desfiles com esse conceito, há muito tempo esperado pelo público e que pontuará as Tendências para 2022. Confira também looks e estampas apresentados pelas marcas.

633

- Continue depois da Publicidade -

Lembra quando somente as mulheres extremamente altas e magras podiam ser modelos? Pois é! Essa época está com seus dias contados. Isso porque, cada vez mais é possível encontrar diversidade na passarela.

E quem diria que esse momento iria chegar, não é mesmo! Mas chegou. E na temporada de desfiles do Hemisfério Norte, primavera verão 2021, muitas marcas inovaram ao apresentar modelos e looks em pessoas com diversos corpos e idades.

Isso, reflete muito do que a atual sociedade espera e cobra, ainda mais com o avanço das mídias sociais. E de certa forma, também impõe à indústria novas convicções, a fim de desconstruir um padrão quase inatingível pela maioria do público e consumidores.

Logo, as mudanças e transformações que a moda vem sofrendo são perceptíveis, mesmo que com certa cautela. Porém, agora vale o otimismo, visto que revela uma tendência mais inclusiva e democrática. Conceitos muito trabalhados aqui no Fashion Bubbles em artigos como Sustentabilidade com Diversidade.  Ou ainda 6 macrotendências das Fashion Week SS21.

Com isso, veja um pouco da diversidade nas principais semanas de moda primavera verão 2021 que influenciarão nosso Verão 2022. Com certeza você irá amar!

Diversidade na passarela da London Fashion Week 2021

 

A London Fashion Week, é uma semana marcada por estilos inovadores e excêntricos, que buscam tirar o público do óbvio. Dessa forma, neste ano além da típica inovação e criatividade, algumas marcas destacaram-se nos modelos.

Elas trouxeram pessoas para desfilarem, que até então eram fora do padrão, mas que agora estão aos poucos conquistando seu espaço nos últimos anos.

A Colina Strada foi uma delas. A partir de um conceito de moda em tempos de pandemia, com muitos trabalhos manuais, que remetem ao faça você mesmo, ela apresentou pessoas reais usando suas roupas.

Mulheres de diferentes corpos e idades vestiram as peças de maneira descontraída e ousada, atendendo aos requisitos dos consumidores atuais.

O desfile da Bethany Williams, foi outro que apresentou muitos conceitos de inclusão, bem como, o respeito à diversidade e conscientização social. Toda a coleção foi elaborada em conjunto com a Adele House, uma casa que recebe mulheres sem-teto e/ou vítimas de abuso doméstico em Liverpool.

Além disso, a coleção da marca foi toda produzida com materiais reciclados e orgânicos, trabalhando também com a moda sustentável. E para exibir as peças na passarela, foram usados modelos que são os próprios ativistas e amigos apoiadores da causa.

Por consequência, criando uma coleção de fácil adesão e muita personalidade.

A Chopova Lowena, que apresentou uma coleção com elementos de sobreposição, babados e bordados, também trouxe para a passarela modelo plus size.

Isso, com o efeito de realçar o objetivo e conceito da temporada, que de fato é apresentar uma moda que adere à todos os biotipos, com inclusão, originalidade e respeito a autenticidade.

diversidade na passarela Chopova SS21
Coleção Chopova Lowera – LFW SS21 – Fonte: FFW – Uol

Milan Fashion Week também apresenta diversidade na passarela

A Milan Fashion Week também apresentou diversidade nas passarelas.

A Fendi, com sua coleção de estilo leve, sofisticado e cheio de movimentos, surpreendeu ao trazer modelos com corpos curvilíneos, compondo diferentes looks e estilos na apresentação. Do mesmo modo, pessoas mais maduras e com aparência forte, também transitam na passarela.

O resultado foi um grande destaque para a elegância, a fim de representar a forte identidade do público da marca.

Os looks com cortes sensuais e alegres da Versace SS21, também tiveram destaque em corpos curvilíneos na passarela de Milão. Assim, a marca apresentou sua coleção da primavera verão 2021, com Colorido exuberante e muito movimento.

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

Também trouxe peças usadas nas modelos plus size que  foram confeccionadas em tecidos macios e leves. Isso, com o propósito de seguir as formas, concedendo conforto, mas sem abrir mão da alta moda. Desse modo, o resultado foi um desfile iluminado, com muita diversidade e beleza na passarela.

A Marni, também apresentou modelos plus size, revelando uma moda street e jovial, mas em contrapartida poética, com cores, babados e camadas que evidenciam muito da sociedade atual.

Ao fotografar os modelos na rua, a marca revela o intuito de aproximar as pessoas, bem como, a importância e existência da diversidade, até então ignorada por muito tempo no mercado da moda.

Diversidade também desfilou na Paris Fashion Week

A tendência de diversidade nas passarelas também chegou à Paris. Lá, do mesmo modo que nas outras capitais, algumas das principais marcas aderiram as modelos curvilíneas e com diferentes faixas etárias.

A Andreas Kronthaler, com a coleção assinada por Vivienne Westwood, apresentou um grupo de modelos diversificados. O desenho das peças também foge aos padrões, com cortes soltos e estampas que remetem aos anos 80, mas também, seguem a tendência da próxima temporada.

Todo esse conceito, foi feito com a finalidade de oferecer uma moda inclusiva e que seja aderida por todos, independente dos recortes, não apenas com definições para homens ou mulheres.

Outra marca que apresentou modelos maduras, sustentando a elegância da coleção foi a Balmain.

Logo na abertura do desfile, mulheres aparentemente acima dos 40 anos, surgem com total exuberância e sofisticação, levando as tendências à todas as idades.

De fato, isso revela uma nova preocupação de agregar públicos aos seus consumidores, permitindo aumento na representatividade e originalidade que a moda propícia.

Balmain também aborda diversidade
Desfile Balmain – PFW  SS21 – Fonte: Vogue

A Etro foi outra marca que trouxe modelos plus size para a passarela. Elas surgiram, tanto em traje de festa como de verão, o que demonstra uma coleção que apoia e trabalha com a diversidade dos corpos.

Desfile diversidade na passarela
Desfile Etro – PFW SS21 – Fonte: Vogue
look verão
Desfile Etro – PFW SS21 – Fonte: Vogue

Já  Chanel, que na coleção outono inverno 2020, havia se destacado ao apresentar no desfile modelos plus size, retornou na coleção de verão 2021, com a mesma postura prol diversidade. Reafirmando, dessa maneira, uma nova o forma de ver e viver a moda.

modelo diversidade na passarela
Desfile Chanel – PFW SS21 – Fonte: FFW- Uol

Afirmando o seu lugar na moda

Ao ver todo esse progresso de inclusão e diversidade nas principais passarelas da moda é importante relembrar todo o processo que foi feito até agora.

O termo plus size foi usado pela primeira vez em meados dos anos 50, nos Estados Unidos. Porém, em todo esse tempo, a categoria da moda não ganhou sua representatividade.

Os corpos magros e alongados sempre foram os preferidos pelas marcas, a fim de criar e demonstrar um padrão de beleza ideal, mas ilusório para a maioria das pessoas. Contudo, ao decorrer do tempo e avanços da sociedade, esses padrões foram questionados, para então, vagarosamente serem atualmente quebrados.

Com isso, ao vermos desfiles com modelos de corpos plus size e curvilíneos é necessário reconhecer como uma conquista. Assim como, o significado disso para todas as pessoas que buscam encontrar sua representação e lugar na moda.

Por fim,  queremos saber se você está mais atento para a Moda com Consciência? Por isso, preparamos um manual de como fazer sua parte em 5 passos!

 

Via Revista L’Officiel e Vogue

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

- Continue depois da Publicidade -