João Guilherme relata a infância difícil que teve com seu pai, Leonardo – “Não foi presente”

João Guilherme participou do Poddelas e jogou a real sobre sua distante relação com Leonardo em sua infância

João Guilherme posa no cenário do Poddelas e em outra imagem está com seu pai, Leonardo.
Compartilhe

De fato é bonito de ver quando o cantor Leonardo reúne seus filhos (com mães diferentes) para um reencontro que resulta numa foto. Todavia, ao que tudo indica, cada um teve uma vivência diferente com o sertanejo. Isso porque a carreira corrida e a separação com as mães (de seus filhos) acabou criando uma barreira. João Guilherme falou sobre isso.

Segundo João Guilherme, sua primeira infância (até 6 anos), seu contato com Leonardo era bem difícil. Isso porque ele e sua mãe moravam em estados diferentes do cantor. Ademais, Leonardo também já tinha outra esposa e filho.

Ou seja, toda a parte musical de João veio através de referências do seu tio, Pe Lu, que é ex-Restart, e o avô, César. Vem saber mais sobre esse papo que Guilherme teve no PodDelas, na última quarta-feira, 17.

“Meu pai não foi presente”, diz João Guilherme

João Guilherme posa no cenário do Poddelas e em outra imagem está com seu pai, Leonardo.
João Guilherme diz que teve outras referências musicais em sua infância. Fonte: Instagram

Ser filho de pais divorciados não é uma tarefa fácil. Ainda a esse fato, se somarmos que seu pai é artista e mora em outro estado, a coisa fica pior. E foi o que aconteceu com João Guilherme, mais novo dos seis filhos do cantor Leonardo. Todos de mães diferentes.

A mãe de João é ex-dançarina de axé. Ela e Leonardo se conheceram durante uma breve separação de Poliana com o cantor.

“Meu pai não foi presente desde bebê. Nunca tive meu pai para ficar vendo ele. [Ainda mais] antes dos seis anos em Goiânia. Tipo ‘toma, uma criança’. Era foda. Minha mãe [Naira Avilla] sempre foi assim [não mandava João sozinho]”– relatou Guilherme durante entrevista à Tata Estaniecki e Bruna Unzueta.

Assim sendo, o ator de “Cúmplices de um Resgate”, explicou que sua infância foi ao lado da família de sua mãe: “Eu vivi e cresci com a família da minha mãe. Meu pai fui começar a trocar umas ideias com ele eu tinha uns sete anos, seis. Digo de ir, ser presente. Ele mora em Goiânia, é em outro Estado. Minha mãe até eu ter seis anos não queria que eu ficasse também viajando”.

Diferentes referências

Dessa forma, João Guilherme sabe que suas referências musicais foram diferentes da do seu irmão, Zé Felipe, que foi criado com sua mãe, Poliana e Leonardo na mesma casa.

“O Zé Felipe, por exemplo, cresceu na casa do meu pai, ele é filho da Poliana, que é esposa do meu pai. Os três juntos lá. E aí sim, tem meu pai todo dia tocando violão, cantando. Se eu tivesse esse contato maior, talvez hoje em dia eu já saberia muito mais e ia ser mto mais gostoso saber tocar violão”– desabafa o cantor.

João também relata que nunca chegou a subir no palco para cantar com Leonardo.

“Por lá [na família de Leonardo] eu nunca aprendi nada, ninguém nunca me ensinou. O que eu aprendi foi vendo e admirando. Era muito distante. Eu, cantar no palco com o meu pai? Uma coisa muito pessoal”- disse o Guilherme.

Mais pop menos sertanejo

João Guilherme fala no Podcast Poddelas.
O ator contou sobre seu pouco contato com seu pai, Leonardo. Fonte: Youtube

Por ser sobrinho de um ex-Restart, João Guilherme sempre ouviu mais rock e pop do que sertanejo e isso o influenciou bastante em sua carreira musical.

“Desde os meus treze anos, [a referência na música] vinha do meu tio, porque eu não consumia tanto sertanejo, eu cresci em São Paulo com a minha mãe. E minha mãe é ex-mulher do meu pai. Você acha que ela quer ficar ouvindo sertanejo dentro de casa?

A resposta é não. Ela gosta de sertanejo, mas você acha que minha mãe vai ficar colocando as músicas do meu pai para tocar dentro de casa? Claro que não. E com o marido dela?” – jogou a real, João no Poddelas.

Por fim, João Guilherme contou que ter Leonardo como uma referência musical veio anos mais tarde: “Então é isso, minha referência era meu tio, rockstar, pop, amava Restart. As calças coloridas. Meu pai foi uma coisa que veio um pouco depois”.

  • Logo depois, nos siga no Google News e acompanhe as novidades de Pantanal e Ilha Record direto do seu smartphone. Basta clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News

Veja a entrevista na íntegra:

Compartilhe

Stories

Matérias Similares