Você não precisa ser um profissional de moda para conhecer a história do São Paulo Fashion Week — muito pelo contrário. O SPFW se tornou o evento de moda mais importante da América Latina — tornando o Brasil o 5º país com a maior semana de moda do mundo.

As novidades das recentes edições são sempre especiais, mas a história do SPFW tem mais de 26 anos e uma trajetória rica em detalhes.

Se você está pensando, por exemplo, em comprar um ingresso para participar da 53ª edição, que acontece até o dia 4 de junho, vale a pena conhecer a origem do evento. Então dê uma lida no que é, para que serve, como funciona e veja a linha do tempo do SPFW para aumentar seus conhecimentos de moda!

O que é o São Paulo Fashion Week?

Foto de moda com a logo SPFW São Paulo Fashion Week.
Fonte: Canva

  • Enquanto isso, confira SPFW N53: tudo sobre a semana de moda de São Paulo

O São Paulo Fashion Week é o maior festival de moda do Brasil e da América Latina. Sendo a 5ª maior semana de moda do mundo, ficando atrás das de Paris, Milão, Nova York e Londres.

O evento semi-anual reuni estilistas e grifes brasileiras, super modelos, famosos, grandes mídias, convidados e especiais compradores do mundo Fashion.

Para que serve o São Paulo Fashion Week?

O consolidado evento serve como meio de convivência para que variáveis marcas brasileiras do mundo fashion integrem o ambiente de inovação do mundo da moda.

  • Ao mesmo tempo, veja Top de borboleta: tendência dos anos 2000 está de volta, confira os looks

Como funciona o São Paulo Fashion Week?

O SPFW tem duas edições por ano. Uma acontece entre os quatro primeiros meses e a segunda nos quatro últimos meses do calendário. Sendo que cada uma delas dura cerca de uma semana. Atualmente, o evento está em sua 53ª edição.

A história do São Paulo Fashion Week

Agora que você sabe o que é, para que serve e como funciona o São Paulo Fashion Week, descubra a história do evento na linha do tempo em seguida:

1995

Foto história do São Paulo Fashion Week.
Fonte: Wikipedia/ FFW. Montagem: Canva (adaptada)

Nascia a Phytoervas Fashion, hoje conhecida como São Paulo Fashion Week. O evento foi fundado por Paulo Borges, produtor de eventos, e Cristiana Arcangeli, idealizadora da marca de cosméticos Phytoervas.

O propósito de Paulo era promover os estilistas brasileiros, já Cristiana apenas tinha a intenção de divulgar sua empresa.

  • Logo depois, leia Multiverso Vicunha: 31 tendências de moda que são apostas da indústria têxtil

1996

Week.
Fonte: YouTube. Montagem: Canva (adaptada)

Paulo Borges desligou-se da empresa Phytoervas e, logo em seguida, fechou parceria com o Shopping Morumbi. Assim, o evento passou a ser chamado Morumbi Fashion Week.

Acima de tudo, seu objetivo era consolidar o calendário de moda brasileira.

1999

Foto história do São Paulo Fashion Week.
Fonte: Meio e Mensagem/ Uol. Montagem: Canva (adaptada)

O Morumbi Fashion Week começou a ser coberto pelo canal internacional de televisão E! Entertainment Television. Nesta edição, a modelo inglesa Kate Moss, aliás, desfilou para a coleção de verão da grife Ellus. Ela, inclusive, atraiu um grande público para o evento.

  • Logo após, veja Vitor Cunha apresenta coleção “Alomorfia”, inspirada em libélula, no DFB Festival 2022; veja fotos

2001

Foto história do São Paulo Fashion Week.
Fonte: Canva. Montagem: Canva (adaptada)

O evento passou a se chamar como hoje é conhecido: São Paulo Fashion Week. Sua 1ª edição com este nome provou que o Brasil estava pronto para realizar uma semana de moda de grande porte e ganhar status respeitável no exterior.

Além do mais, o SPFW passou a ser considerado o 1º evento de moda consciente com a quantidade de emissão de carbono. Isso porque são realizados em parques públicos de SP, e por, desde 2017, mais de 40 mil árvores terem sido plantadas em nome do evento.

2008

Foto história do São Paulo Fashion Week.
Fonte: Wikipedia. Montagem: Canva (adaptada)

Mais parcerias foram realizadas, em especial a dos associados Grupo Luminosidade e empresa InBrands, que promoveram em conjunto o SPFW e resultaram num maior número de investidores e patrocinados para o evento.

  • Enquanto isso, confira Vi Lingerie traz renda, fenda e romance no desfile do DFB Festival 2022; veja fotos

2013

Foto história do São Paulo Fashion Week.
Fonte: FB. Montagem: Canva (adaptada)

Os desfiles foram transferidos de data. Os de primavera-verão, de junho, foram para março. Enquanto os de outono-inverno, de janeiro, foram para outubro.

Assim, passaram a ocorrer 6 meses antes de as peças serem comercializadas nas lojas. Portanto, possibilitando melhoria na produção, logística e distribuição das marcas que desfilam no evento.

2016

Foto com fatos do evento.
Compras pós-desfile: 2 000 peças vendidas em quarenta minutos. Foto: Instagram. Montagem: Canva (adaptada)

Paulo Borges decide adotar o “See now, buy now” (veja agora, compre agora). Se trata de um movimento em que as marcas montam uma loja após o desfile para suas peças serem compradas naquele mesmo momento.

Ainda mais, a edição passou da nomenclatura Verão 2017 para SPFW N41, se referindo a 41ª vez em que acontecia. O que possibilitou os estilistas a desobrigação em apresentar uma coleção dividida por estação.

  • Ao mesmo tempo, veja Bruno Olly apresenta coleção no DFB Festival 2022. Veja fotos!

2018

Foto com fatos do evento.
Fonte: Twitter/ Linkedin. Montagem: Canva (adaptada)

O evento passa a vender ingressos para garantir a entrada do público em geral para acompanhar as atividades paralelas. Enquanto isso, os desfiles continuam restritos para apenas convidados.

Além do mais, o Grupo In Brands anuncia a venda de 50,1% do SPFW para o grupo IMM Esporte e Entretenimento.

2020

Foto com fatos do evento.
Fonte: Digitale Têxtil. Montagem: Canva (adaptada)

Por conta da pandemia de Covid-19, o SPFW 2020 acontece em formato digital e interativo pelas ruas de São Paulo. Foram projetadas transmissões em pontos do centro histórico da cidade e, ao mesmo tempo, em lives no YouTube. O modelo seguiu até a edição N51 do ano seguinte.

  • Logo depois, leia Alix apresenta coleção de beachwear de crochê no DFB Festival 2022; veja fotos

2022

Foto sobre o SPFW 53.
Fonte: Z Magazine. Montagem: Canva (adaptada)

Enfim, considerado o maior evento de moda da América Latina, o SPFW produz milhões de empregos direta e indiretamente todos os anos.

Sua edição atual, o SPFW N53 acontece de forma híbrida. Ou seja, com desfiles presenciais e outros digitais.

Você confere esses e outros detalhes da história do São Paulo Fashion Week no vídeo abaixo:

  • Logo após, veja Manuel Bessa apresenta coleção “Guardiões”, inspirada em filme “Gabriel”, no DFB Festival 2022; veja fotos

Quem é o dono do São Paulo Fashion Week?

Foto de Paulo Borges.
Fonte: Uol

O idealizador do São Paulo Fashion Week é o Paulo Borges, de 60 anos. Natural de São José do Rio Preto, iniciou carreira na moda por volta de 1980, atuando na Vogue Brasil.

Na década de 90, Paulo começou a produzir desfiles para renomados estilistas e marcas brasileiras.

Então, em 1995, em parceria com uma empresa de cosméticos, inaugurou o Phytoervas Fashion. O evento de moda, logo em seguida, passou a ser chamado Morumbi Fashion. E, mais tarde, se tornou o São Paulo Fashion Week.

Enfim, Paulo Borges é CEO do grupo Luminosidade, atuante nas áreas de marketing e estratégia, produção de eventos e de conteúdo, focada em Moda, cultura e comportamento.

Conclusão

Agora que conheceu a história do São Paulo Fashion Week na linha do tempo, pode aproveitar para descobrir as novidades das próximas edições do evento.

No Fashion Bubbles, você já pode iniciar essa descoberta hoje, indo saber tudo sobre o SPFW N53 na nossa matéria especial da edição. A 53ª temporada, aliás, está acontecendo nesse exato momento!

Enfim, quer continuar por dentro das novidades de estilo? Então, não perca tempo e acesse nossa categoria moda.