Na última terça-feira (22/03), Laís saiu do BBB 22 com 91,25% dos votos. Assim, os outros emparedados, Douglas Silva (4,48%) e Eliezer (4,27%), não passaram nem perto da Eliminação. Mas qual será o motivo de a sister ter deixado o reality show com a maior rejeição da temporada até aqui?

Conforme análise da terapeuta Camila Custódio, a participante fez uma trajetória com episódios controversos. Além disso, seus conflitos com Arthur Aguiar, um dos favoritos da edição, acabaram a afetando. Então, continue lendo para saber mais!

Por que Laís saiu do BBB 22?

Laís é a 9ª eliminada do BBB 22
Fonte: Globo

Mas vamos aos fatos e aprendizados sobre a sua saída: no início do programa, Laís teve falas polêmicas e, por vezes, preconceituosas. Por exemplo, ela tratou Linn com o pronome masculino e falou do cabelo da participante. A médica só mudou a postura depois que Tadeu Schmidt chamou sua atenção ao vivo.

Lais também chegou a ser acusada de racismo ao se referir à participante Natália e ao seu par romântico Eliezer. Ao longo do programa, evitou a aproximação com as integrantes desse grupo, conhecido como Comadres. No entanto, após o Lollipop começar a se dissolver, tentou uma reaproximação por conveniência.

Ela também distorceu diversas falas de outros participantes, disseminando fofocas e gerando conflitos. E ainda engatou um romance com Gustavo por estratégia, para ganhar força, conforme sugestão de sua maior aliada, a já eliminada Jade Picon.

Esse relacionamento não foi suficiente para que ela tivesse uma postura protetora frente a Gustavo. Assim, em nenhum momento ela se movimentou para evitar a ida do amado ao Paredão.

Alguém lembra de quantas vezes ela confundiu os nomes dos participantes, trocando Gustavo por Rodrigo, que foi seu primeiro crush na casa?

Acima de tudo, Laís resolveu manter o “legado” de rivalidade entre Jade e Arthur Aguiar, agora no papel de antagonista do atual Líder.

Como foi o Jogo da Discórdia da 9ª semana?

9º Jogo da Discórdia do BBB 22
Fonte: Globo

Arthur chegou a acusar Laís de ter um comportamento durante o programa ao vivo e outro nos bastidores. De acordo com ele, a sister sempre pedia desculpas ou ia se retratar de alguma forma, dizendo que não queria ter feito o que fez. Isso não aconteceu só com Arthur, mas também com outros participantes.

Arrisco dizer que a palavra “desculpa” foi a mais citada pelos participantes no Jogo da Discórdia da última segunda-feira, inclusive pela própria Laís.

Contudo, a postura de Arthur também precisa ser comentada. Sempre digo que ninguém é perfeito e que todos nós acabamos sendo lesados por nossas próprias atitudes e falas.

Todo Jogo da Discórdia é sobre como cada um se sente ou avalia a relação dentro da casa. Por isso, não cabe a nenhum participante invalidar como o outro se sente. Só que cada um se defende da forma que consegue, com os recursos emocionais que tem, e isso faz parte do jogo também.

As falas de Arthur, dessa vez muito bem pontuadas por Laís, mostraram como ele diminuía o sentir dela, sua percepção sobre os fatos. Ela conseguiu se expressar melhor e ele não hesitou em interrompê-la diversas vezes. O que vale lembrar que ela também já fez outras tantas vezes nos jogos anteriores.

Menos emocional, Laís conseguiu contextualizar seu rival, apresentando como ela se sentia. Ainda mais, pediu para concluir suas falas em vez de ir para o movimento ataque/defesa.

Dessa forma, ela quase conseguiu fazer Arthur se perder em seu próprio contexto. Se vocês observarem, ele chegou a se emocionar e encher os olhos de lágrimas nesse momento.

Arthur Aguiar cometeu gaslighting e manterrupting no BBB 22?

9º Jogo da Discórdia do BBB 22
Fonte: Globo

Laís ainda pediu desculpa para o público por ter se alterado no Jogo da Discórdia passado, embora não tenho sido sua intenção. Como já citei anteriormente em uma coluna, uma mulher ser interrompida por um homem gera diversos gatilhos que levaram a sister a reagir daquela forma.

Para as mulheres, a conversa tende a ser um campo de batalha, que pode virar uma discussão em que é preciso lutar por cada segundo de fala.

Estudos revelam, aliás, uma coisa interessante: o gênero da pessoa que faz a interrupção importa menos do que o gênero da pessoa que é interrompida.

Isso explica o comportamento pouco solidário nas redes sociais a Laís sobre as interrupções de Arthur. Ele chegou a ser acusado de gaslighting e manterrupting, mas, se você buscar os comentários, verá que a própria Laís foi mais acusada do que defendida. Sem dúvida, isso acontece por causa dos preconceitos inconscientes que temos sobre gênero.

Seja no happy hour, no ambiente familiar, no relacionamento amoroso ou no trabalho, a cena é comum: uma mulher está falando e, antes de terminar, é interrompida por um homem. Ele, sem constrangimento e com confiança, passa a explicar para ela e aos outros presentes o que ela estava tentando dizer.

Outro fenômeno interessante que acontece é que, apesar de as mulheres serem menos propensas a interromper no geral, quando o fazem, é mais provável que elas interfiram nas falas de outras mulheres, do que na fala de homens.

  • Enquanto isso, siga o Fashion Bubbles no Google News e acompanhe as novidades do Big Brother Brasil 22 direto do seu smartphone. Basta clicar aqui e, em seguida, na estrelinha 🌟 lá no News

Conclusão

Tadeu Schmidt e Laís Caldas
Fonte: Globo

A verdade sobre o Big Brother Brasil: é um jogo de manipulação. Como resultado, todos soarão, em algum momento, como arrogantes, desagradáveis, influenciáveis, menos confiáveis e mais ou menos verdadeiros. Muitas acusações e interrupções ainda serão feitas após a saída de Laís.

Contudo, me parece que, quando colocamos nossa expectativa em um jogador, cobramos uma perfeição dele. Ou ainda evitamos olhar aquilo que ele faz de “errado ou incoerente” e buscamos uma justificativa para aquele comportamento.

Mas até que ponto nos cegar para isso impede nosso aprendizado sobre conceitos, relacionamentos,  comportamento humano e ampliar nossa perspectiva para evoluirmos enquanto gênero também?

Que sigamos aprendendo com o jogo dentro e fora da casa!

Sobre a colunista

Camila Custódio
Fonte: Divulgação

Camila Custódio é idealizadora do Consultório Emocional – @consultorioemocional nas redes sociais. Camila é Assistente Social, Terapeuta de Família e Casal, Terapeuta Relacional Sistêmica, Psicanalista e Coach. Além disso, é Especialista em Gestão da Emoção e Consultora em Desenvolvimento Humano.

Escreve sobre saúde emocional, relacionamento e empoderamento feminino para sites, revistas e blogs. Atende pacientes online de todo o Brasil e do exterior.