Troca de imóveis – Corretor dá dicas para fazer permutas sem riscos

Corretor passa por diferentes situações na pandemia, enxuga e tira o melhor das dicas para quem pretende permutar um imóvel sem riscos de perder dinheiro. Por Douglas Matias da Silva.

670

Permuta de imóveis – Passamos por um momento extremamente delicado pra todos. O isolamento, o Home Office, a redução de custos e salários, medo, etc.

No dia a dia, estar em casa era chegar do trabalho, tomar banho, jantar, ficar um pouco com a família na sala e depois se retirar pra descansar e no dia seguinte tudo novamente. Aos finais de semana, normalmente se tem algo pra fazer, um futebol pra ver, uma série, em passeio, a visita de alguns familiares, etc.

Na pandemia isso mudou. Ter que ficar em casa, com toda a família , sem poder sair e mais… trabalhando de casa. Ninguém estava preparado pra isso! Poucos, se não raros, possuíam uma área pra estudos ou um escritório onde se possa trabalhar tranquilo.

Veja também: Primeiro apartamento: 17 dicas para comprar o seu.

Convívio na pandemia

Assim, pensando nesse novo convívio – estar com os filhos, esposa e às vezes seu pet em tempo integral – fez muita gente repensar seu estilo de vida.

Logo, houve impacto também  no ramo imobiliário. Muitos passaram a  perceber que faltava espaço pra todos da família no seu imóvel…  Isso porque nem sempre era necessário estar todo mundo no imóvel, por tanto tempo, ou ainda a possibilidade de permanecer trabalhando em casa, mesmo após o fim da pandemia, o que vem se tornando realidade para muitas empresas. Assim será necessário uma novo forma para organizar a casa ou até fazer uma reforma.

Entretanto, muita gente percebeu que em seus imóveis, não há um espaço para estudos ou para trabalho. Da mesma forma, percebeu-se ainda, a diferença que faz ter uma sacada,  para simplesmente olhar para fora ou ver o céu azul, no caso dos apartamentos.

Tudo isso porque respeitamos a obrigação de recolher e esperar.  Foram árduos 90 dias pra maioria das famílias e nesse momento, muitas delas decidiram que mudanças eram necessárias. Mas como fazer uma mudança de casa se eu preciso vender a minha pra poder comprar outra. Isso pode levar meses, se não anos?

Família grande concentrada na sala de estar, desenho.
Família Grande – Fonte: Freepik

 

Ideia da Permuta

Daí a ideia da permuta de imóveis começou a ficar mais forte. A troca oneraria menos no orçamento familiar e agilizaria todo o processo de mudança.

Vamos procurar corretores que façam isso, pensaram as famílias.

Terminado o isolamento total, choveram chamadas nas imobiliárias! Julho foi um mês histórico em muitas delas. Clientes loucos por um negócio chamado “Permuta“.

Mas, como já se sabe, a palavra permuta quer dizer “Troca”. Trocar um imóvel por outro.

Só que para troca é preciso pensar no seguinte: eu tenho um imóvel e quero trocá-lo por outro. Ele deverá entrar como parte de pagamento e o restante pago com meus recursos de economia ou faço um financiamento.

Só que, aí é que vem a decepção! Não é tão fácil quanto imaginamos.

Imagem de mãos trocando dinheiro por casa.
Fonte: Foto/Reprodução

Pontos a serem levados em consideração

Nem sempre quem vende aceita outro imóvel como parte de pagamento;

Você também pode gostar!

Nem sempre aquele que aceita um imóvel como parte de pagamento, pode aceitar o seu. Seja por questão de localização, estética ou até por questão do valor ser muito próximo ao que se deseja permutar.

Entretanto, para ilustrar vamos considerar um panorama favorável onde as partes se encontram, os dois imóveis interessam um ao outro e assim, seus proprietários resolvem sentar pra negociar.

Documentos

Para você que esta dando seu imóvel como parte de pagamento é preciso, antes de tudo, assim como em qualquer negociação imobiliária, estar plenamente ciente de que nem todos imóveis tem as mesmas condições documentais que o seu.

Portanto é preciso avaliar se todos os documentos, impostos e estrutura do imóvel estão corretos. Se for fazer um financiamento, isso fica um pouco mais tranquilo, já que o banco fará essas análises antes de liberar o crédito imobiliário a quem necessita.

Custos

Considerando que tudo esteja de acordo, é importante lembrar, principalmente para quem recebe um outro imóvel como parte de pagamento, que além das documentações em ordem, você terá custos com registro do imóvel e transferência do mesmo para seu nome. Já que até o momento ele está em nome de outra pessoa.

Se esta troca for pra uso pessoal, tudo bem, pois se sabe que isso vai ocorrer de uma maneira ou de outra quando você for comprar um novo imóvel. Mas se você pegar o imóvel pra revender, isso tem que ser levado em consideração também!  Já que do valor do negócio é que serão abatidos os custos de registro e também os honorários da imobiliária ou corretor que o comercializará depois. Estamos falando de aproximadamente uns 10% a 15% do valor de origem do imóvel.

 

Exemplificando a situação

Numa negociação estou vendendo meu apartamento de R$ 1.000,000,00. O interessado tem um outro apartamento de R$ 500.000,00 e quer dar como parte de pagamento. Eu vou pegar este imóvel para revendê-lo depois, pois não me interessa morar nele. Daí a pegadinha.

Considerando que o imóvel tenha valor de mercado ajustado em  R$ 500.000,00, como vou colocá-lo à venda sendo que, terei que custear de 3% a 4% do valor de mercado para registrá-lo e transferi-lo para meu nome e mais, ainda terei que pagar os 6% dos honorários de corretagem quando ele for vendido. Fez as contas? Sabe quanto sobraria de um imóvel de R$ 500 mil? Eu te mostro:

Conta auxiliando como exemplo. (R $ 500.000,00 - 4% = R $ 20.000,00 R $ 500.000,00 - 6% = R $ 30.000,00 Resultado final: R$500.000,00 – R$ 20.000,00 ( impostos de transferência ) + R$ 30.000,00 (honorários de corretagem) = R$ 450.000,00.)
Fonte: Reprodução

Portanto, se você já não deu desconto na transação inicial de cara você já toma um prejuízo de R$ 50.000,00. Sendo assim, você acabou vendendo seu imóvel por R$ 950.000,00 e não por R$ 1.000.000,00.

Permuta sem riscos

Antes de aceitar um imóvel como parte de pagamento, avalie qual a finalidade dele pra você. Avalie qual seu valor de mercado, isso é muito importante! Consulte outros corretores e imobiliárias que estão fora da negociação. Procure por anúncios similares, sempre tem um outro apartamento vendendo no mesmo prédio ou uma casa no mesmo bairro.

Em resumo, a permuta apesar de ser um pouco mais trabalhosa, é uma opção que agiliza a vida de quem está vendendo e de quem está comprando. Trata-se de uma prática cada vez mais comum no mercado imobiliário e tem gerado um grande número de negócios.

Mas, por outro lado, é importantíssimo está acompanhado de um bom corretor que de forma profissional sempre orientará ambas as partes para que o negócios seja vantajoso e não gere prejuízo para ninguém.

Compra e venda de imóvel só com corretor credenciado, exija o CRECI do profissional que o atende, é um dever dele lhe apresentar e um direito seu pedir.

Pesquise, avalie, analise e tenha sempre em mente que um negócio só é bom, quando todas as partes estão satisfeitas!

Por fim veja também: Como decorar apartamento pequeno para homens.

Por Douglas Matias da Silva

Corretor Credenciado em SP e vinculado a SH Prime Negócios Imobiliários (www.shprime.com.br)
(11) 98277-0901
CRECI 172037
você pode gostar também