Guia prático de vinhos tintos e brancos: Para não errar na escolha

Saiba como harmonizar ou como saber se o vinho é bom. O Fashion Bubbles preparou para você um guia prático sobre vinhos tintos e brancos. Confira!

- Continue depois da Publicidade -

O Fashion Bubbles preparou um guia prático para você entender mais sobre vinho tinto e vinho branco.

Prepare-se para desvendar este mundo de forma simples e sem frescura. Vamos falar sobre:

  1. O que é vinho?
  2. Qual a diferença entre vinho tinto e vinho branco?
  3. Você sabe o que são taninos?
  4. As uvas brancas;
  5. As uvas tintas;
  6. Harmonização;
  7. Como armazenar vinhos tintos e brancos em casa;
  8. Adega feita em casa.

Você sabia que a origem do vinho é anterior à escrita? Cerca de 2.000 anos antes! Além disso, tem um fato muito curioso: os vinhos antigamente serviam como elixir, em alguns casos até como remédio. Uma  lenda diz que uma donzela do Rei Jamshid, da Pérsia, descobriu o vinho.

 

Imagem de ânforas datadas da antiguidade penduradas na parede
Ânforas usadas na antiguidade para armazenar líquidos como o vinho e água. Fonte: Pinterest

 

- Continue depois da Publicidade -

Um dia, a donzela observou uma de suas ânforas de barro exalar aromas estranhos e borbulhar. Assustada, perguntou aos seus súditos o que seriam aquelas borbulhas. Eles teriam respondido, então, que se tratava de veneno.

Assim, a donzela que sofria de fortes dores de cabeça resolveu beber o veneno para acabar com sua vida, mas o resultado foi surpreendente.

- Continue depois da Publicidade -

Após ingerir o líquido borbulhante, ela foi tomada por uma sensação de euforia e alívio.

 

1. Mas afinal, o que é vinho e como não errar na escolha?

 

Foto com uma mesa de aperitivos com presento, queijos e duas pessoas bebendo vinho
Vinho é compartilhamento. Fonte: Pexels Cottonbro

 

- Continue depois da Publicidade -

  • Siga o Fashion Bubbles no Google News para poder acompanhar tudo sobre Saúde direto no seu smartphone. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

 

O vinho é uma bebida feita a partir da fermentação do suco de uvas recém colhidas. É também a mais natural das bebidas alcoólicas. Simples assim! Ou seja, o vinho tinto e o vinho branco não devem ser complicados.

Mas Jancis Robinson , prestigiada crítica de vinhos, tem outra definição: “O vinho é a bebida mais deliciosa, estimulante, variada e irritantemente complicada do mundo. Ele alegra, faz as pessoas ficarem mais afáveis e tem um gosto maravilhoso harmonizado com comida”, diz.

Desta forma, o mundo do vinho é muito vasto. Não existe certo ou errado! Existe principalmente o vinho que mais te agrada.  Porém , algumas dicas e informações podem te ajudar a não errar na escolha.

 

2. Qual a diferença entre vinho tinto e vinho branco?

 

A principal diferença técnica é que os vinhos tintos são fermentados com as cascas das uvas tintas. Por isso, eles possuem coloração rubi. Isso porque a casca da uva passa essa cor para o suco. Ou seja, para o líquido produzido depois que as uvas são esmagadas. Já o vinho branco, geralmente é fermentado sem as cascas.

Existem uvas tintas e uvas brancas, como vocês podem observar na foto abaixo. Por isso, os vinhos brancos são feitos geralmente a partir de uvas brancas. Mas existem também alguns vinhos brancos feitos a partir de uvas tintas, onde o segredo é fermentar o suco sem a casca. Assim, a cor não passará para o vinho.

 

Fotos de um cacho de uva tinta e um cacho de uva branca nas suas respectivas videiras
Cachos de uva tinta e uva branca. Fonte: Arquivo pessoal Alessandra Janaudis

 

Normalmente o vinho branco é uma opção mais leve e refrescante. É ideal para ser desfrutado com aperitivos, por exemplo, porque ele geralmente não tem taninos.

 

3. Você sabe o que são taninos?

 

É muito simples! São substâncias que estão presentes nas cascas, nas sementes das uvas, no carvalho das barricas e também pode ser encontrado em pó.

Você também pode gostar!

Quando apreciamos um vinho tinto, os taninos se unem às proteínas da nossa saliva e nos faz sentir aquela sensação de “amarrar a boca”, a mesma que sentimos ao comermos uma  fruta verde, por exemplo.

 

Foto ilustrando a presença dos taninos nas cascas e sementes das uvas, no carvalho das barricas e também em pó.
Taninos nas cascas e sementes das uvas, no carvalho das barricas e também em pó. Fonte: Wine Folly

 

Contudo, pode parecer que o tanino não é algo agradável, porém, ele é muito importante para ajudar o vinho a evoluir na garrafa. Ou seja, não estragar e também dar corpo e estrutura a esse vinho.

Por isso os taninos são importantes também quando harmonizamos vinho tinto com comida. Vamos falar sobre isso um pouquinho mais adiante.

 

Conhecer as uvas ajuda na escolha de um bom vinho

 

Existem centenas de tipos de uvas apropriadas para fazer vinhos. Porém, vamos conhecer as seis dentre as mais conhecidas. Desta forma, com certeza esse guia prático irá te ajudar a escolher um bom vinho.

Vale lembrar mais uma vez que vinho bom é aquele que você gosta, mas informação e conhecimento, podem te auxiliar nesta jornada do mundo dos vinhos. Então vamos arrumar a casa, convidar os amigos e compartilhar uma taça de vinho?

 

 

4. As uvas brancas

 

Em primeiro lugar, vamos falar da Chardonnay, se pronuncia “char-dô-nêe”.

 

imagem de uma taça de vinho chardonnay com sugestão de harmonização com peixe grelhado ao molho de ervas e queijo macio
Vinho Chardonnay com sugestão de harmonização com queijos moles e peixe ao molho de ervas. Fonte: Wine Folly

 

Esta é, provavelmente, a uva mais cultivada do mundo desde a França, passando pelos Estados Unidos até o Chile. Por isso, ela é uma das mais conhecidas. Esta uva produz vinhos secos variados.

Explico: se o vinho vier de uma região de clima mais frio como o Vale de Casablanca, no Chile, por exemplo, ele vai apresentar sabores de frutas verdes como maçã e notas cítricas como limão.

Por outro lado, se for produzido no Vale Central do Chile, que é uma região mais quente, pode desenvolver aromas de frutas tropicais como abacaxi e banana.

 

Ou seja, o vinho produzido com a uva chardonnay  é versátil

 

Experimente várias opções até chegar a conclusão de qual te agrada mais. Muitos podem passar por barricas de carvalho deixando o vinho um pouco mais encorpado e com notas defumadas devido à passagem por madeira.

Uma sugestão de harmonização com o chardonnay seria com queijos moles, aperitivos ou até um filé de peixe grelhado com molho de manteiga e ervas aromáticas.

 

Em segundo lugar, apresentamos a  uva Sauvignon Blanc

 

Taça de vinho branco e cacho da uva sauvignon blanc com um prato de sushi e sashimi como sugestão de harmonização
Vinho Sauvignon Blanc e sugestão de harmonização com comida japonesa. Fonte: Wine Folly e Arquivo pessoal Alessandra Janaudis

 

Se pronuncia “Ço-vi-nhôn-blón”. Este vinho branco quase sempre é seco, mas muito frutado e aromático. Ele pode, por exemplo, apresentar notas de frutas cítricas como lima e limão, maracujá e também um toque ervas.

É produzido no Chile, na Nova Zelândia e na França, entre outras regiões. O Sauvignon Blanc é muito refrescante, por isso sugerimos experimentá-lo harmonizado comida japonesa, mas também vai muito bem com uma bela salada e como aperitivo na praia ou na piscina.

 

5. Seguimos com as uvas tintas

 

Iniciamos com a uva Cabernet  Sauvignon pronuncia-se “Cá-ber-nêe Çô-vi-nhôn”.

 

Taça de vinho tinto Cabernet Sauvignon e sugestões de hamonização. Fonte: Wine Folly , Pexels Daniel Reche e Pexels Emre Vonal

 

A  uva Cabernet Sauvignon é amplamente cultivada no mundo todo. Émuito fácil encontrar vinhos produzidos com essa uva nas prateleiras dos supermercados, por exemplo.

Voltamos a falar dos taninos. Esse vinho é um bom exemplo, pois os taninos estão sempre presentes. Assim, eles vão funcionar muito bem no paladar quando harmonizamos com carne, um belo hambúrguer ou um churrasco em família. Em outras palavras, o tanino combina com carne.

Normalmente este vinho tem de médio a muito corpo, aromas a frutas vermelhas e pretas e um toque de pimentão verde.  O Chile é um grande produtor assim como a Austrália e a França.

 

 

Em seguida a uva Merlot (diz-se “Mêr-lô”)

 

Imagem de uma taça com vinho Merlot , um prato de espaguete e uma menina segurando um pedaço de pizza peperoni
Vinho Merlot e sugestões de harmonização com pizza e espaguete. Fonte: Wine Folly e Pexels Cottonbro

 

O vinho Merlot é uma alternativa muito popular e mais delicada que o Cabernet Sauvignon. Isso porque possui menos taninos e, geralmente, a sensação em boca é de leveza. Ou seja: com muita fruta vermelha, como morango e frutas pretas como amora e cereja. Um coringa para todas as ocasiões, desde a macarronada do domingo até aquela pizza deliciosa com amigos e família.

 

 

Vinho Merlot é uma delícia para acompanhar pizza

 

A França é a região mais prestigiada para o  cultivo da uva Merlot, mas você vai encontrar também bons vinhos com esta uva provenientes do Brasil, Chile e Estados Unidos, além da Itália.

 

E por fim a uva Pinot Noir

 

Taça de vinho com um cacho ao lado e tábua de aperitivos com queijos, azeitonas, morangos e salames
Taça de vinho Pinot Noir com tábua de aperitivos. Fonte: Wine Folly e Pinterest Natashaskitchen

 

Se você gosta de vinho leve, fácil de beber esta opção é para você

 

A uva pinot noir ou pinot nero, como é chamada na Itália, tem a casca bem fina. Consequentemente, a coloração do vinho será mais pálida. Ele é leve com aromas a cerejas,  framboesas e morangos. Perfeito para acompanhar um aperitivo ou um piquenique.

A região da Borgonha, na França, é o seu lar. A pinot noir faz parte também da elaboração do Champanhe. Porém, o Chile produz excelentes vinhos com esta uva tinta, com custo benefício bem atrativo.  Vale a pena experimentar!

 

6. Harmonização

 

Finalmente, harmonizar vinho com comida não é tão difícil quanto parece. Experimente sempre avaliar a intensidade do seu prato com a intensidade do vinho. A ideia é que um não se sobreponha ao outro e sim se complementem.

Explico: vinhos mais leves com pratos mais leves e frescos e vinhos encorpados com pratos mais substanciosos. Arrisque-se e viva suas próprias experiências!

 

  • Confira também: Jantar romântico – Como fazer uma mesa posta para surpreender?

 

Mas vinho combina mesmo com beber com moderação

 

É muito importante beber com moderação e atenção aos menores de 18 anos, bebida alcoólica é proibida!

 

  • Confira também: Drinks sem álcool – Saiba tudo sobre a tendência e aprenda 4 receitas

 

Vinho é bom também sempre acompanhado por água que ajuda a diluir o álcool absorvido pelo nosso corpo.

 

Seguimos com nossas dicas após o aviso abaixo

 

placa com aviso se beber não dirija
Aviso se beber não dirija. Fonte: Arquivo pessoal Alessandra Janaudis

 

7. Como armazenar vinhos tintos e brancos em casa

 

Dicas:

  • Deixá-los em uma temperatura constante sempre fresca. Se você tiver uma adega, melhor ainda mas se não tiver, não tem problema, armazene as garrafas no local mais fresco da sua casa;
  • Mantenha os vinhos longe da luz solar e da luz artificial, pois as luzes podem danificar o vinho;
  • Se sua intenção for guardar o vinho por mais tempo, deixe-o na posição horizontal para a rolha ficar em contato com o vinho e não ressecar. Mas se a ideia é consumir rápido, não precisa deixar na horizontal.

 

 

8. Adega feita em casa

 

Foto de adegas feitas em concreto, uma serve de base para uma estante em madeira a outra uma composição de tijolos pintados
Adegas feitas com tijolos de concreto. Fonte: Pinterest, Homify  e Shelterness

 

Adega com tijolos simples, eficiente e econômica é uma alternativa para armazenar seus vinhos em casa sem gastar muito. A dica é utilizar o tijolo de concreto, que você pode encontrar, entre outros lugares, na Leroy Merlin.

Isso porque o concreto é um excelente isolante térmico. Mas atenção: é recomendado colocar um papel filme ao redor da garrafa assim você não corre o risco de danificar o rótulo quando ele raspar no concreto.

  • Confira também: Gin: 15 receitas do drink refrescante que é a cara do verão

 

Tintim  e saúde a todos!

Fiquem ligados nas próximas novidades aqui no Fashion Bubbles e vejam mais conteúdos sobre gastronomia e moda:

 

 

Sobre a colunista

Alessandra Janaudis, formada em publicidade pela FAAP, pós-graduada em Ciências do Consumo pela ESPM bem como em Moda e Criação pela Santa Marcelina. Cursou Cool Hunting na Domus Academy de Milão.

Hoje mora na Itália e tem também um projeto de correspondência de moda para empresas brasileiras com fotos de vitrines, produtos e tendências diretamente de Milão .

Instagram: @conexaomilano_

E-mail de contato [email protected]

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes