Bruninho, filho do ex-goleiro Bruno, é jogador do sub-13 do Athletico Paranaense

Filho de ex-goleiro Bruno disputa torneio pelo Athletico Paranaense e caso choca internautas

Aos 13 anos, Bruninho é o goleiro do Furacão no Sul-Brasileiro BG Prime e estreou com a camisa 1; entenda o caso

Compartilhe

Um dos principais times do futebol brasileiro é, sem dúvidas, o Athletico Paranaense. Dito isso, o Furacão conta com uma nova jóia em sua categoria de base, mais precisamente no sub-13, que é o goleiro Bruninho. O nome pode não ser conhecido por muitos, mas seu pai é o ex-goleiro Bruno que foi condenado a 22 anos e três meses de prisão por ter ocultado o cadáver, e sequestrado a mãe do jovem defensor, Eliza Samúdio.

No clube paranaense desde 2022, Bruninho não pode ter contrato “não profissional” com o clube, devido sua idade. Ou seja, neste momento tem direito à assinar como atleta amador, porém, a equipe ainda não teve interesse. Entretanto, em 2024 terá autorização jurídica para assinar e ter vínculo de forma não profissional, que basicamente é com jogadores que são menores de 18 anos e não direito de firmar acordos profissionalmente.

Atualmente, o jovem goleiro está disputando o Sul-Brasileiro BG Prime, conhecido torneio de base que envolve clubes do sul do Brasil. Dessa forma, o Athletico está no Grupo B, ao lado de Juventude, Camboriú, Brusque e Maccari-SC. A competição envolve mais de cinco mil atletas entre o sub-10 e o sub-17.

Assassinato de Eliza Samúdio e prisão de Bruno

Fonte: Reprodução

Após ser condenado por mais de 22 anos de prisão, por estar envolvido no assassinato de Eliza Samúdio, o ex-goleiro Bruno está em regime semiaberto desde 2018 e recebeu liberdade condicional em janeiro deste ano. Na ocasião, jogava no Flamengo, mas foi encarceirado.

Em 2010, Eliza Samudio era namorada do ex-camisa 1, desapareceu aos 25 anos e nunca teve o corpo encontrado. Na época, seu companheiro era titular do Rubro-negro e chocou todos os companheiros ao descobrirem o crime.

Internautas se revoltam com Bruno após dívida de pensão

Apesar de ter conhecimento desde o nascimento de Bruninho, o ex-goleiro Bruno não ajuda na pensão e, atualmente, quem custeia os gastos do jovem jogador é a avó Sônia. Entretanto, Bruno não paga o compromisso com o filho desde setembro de 2022.

Opinião: Bruninho merece compaixão e suporte emocional

Com a chegada de Bruninho no Athletico e pedir para retirar seu nome para não ter vínculo com o pai, o caso ganhou repercussão e a Terapeuta Camila Custodio, do Consultório Emocional e colunista Fashion Bubbles, emite sua opinião .

A história do goleiro Bruno é extremamente trágica e controversa, envolvendo o assassinato de sua ex-namorada e mãe de seu filho, Eliza Samudio, em 2010. O fato de seu filho, que carrega consigo, além do mesmo nome do pai, a história da morte da mãe, escolher seguir os mesmos passos que o pai, pode gerar sentimentos conflitantes em muitas pessoas.

Para alguns, a escolha do filho de Bruno pode ser uma forma de honrar a memória da mãe e também de seguir o legado do pai, seu genitor. Poderia ser uma forma de superar as dificuldades e traumas associados à história de sua família e transformar a memória da tragédia em uma motivação para alcançar seus objetivos.

Afinal, Bruninho é mais um dos meninos que sonha com a carreira de jogador de futebol como tantos outros no Brasil e no exterior.

Porém os sonhos de infância, para além dessa tragédia não devem ser negados, muito menos seu talento e aptidão para o esporte. No entanto, para muitos outros, a escolha do filho de Bruno pode ser vista como perturbadora e preocupante, principalmente por causa da história de violência dos seus pais.

Bruninho pode sofrer ataques por ser filho de condenado

As pessoas podem se perguntar se o filho está ciente da extensão dos crimes cometidos pelo pai e quais são as implicações emocionais e psicológicas de seguir os mesmos passos.

E essa é uma preocupação relevante já que o próprio Bruninho, revelou anteriormente que se sente ameaçado pela liberdade condicional do pai e que desejaria a prisão perpétua dele, ao qual ele cresceu completamente sem contato e desde o final do ano passado não recebe sequer a pensão alimentícia.

É preciso um bom suporte psicossocial para os possiveis problemas que ele pode enfrentar pela frente como a discriminação, julgamento alheio, a comparação com o próprio pai, além de lidar com a culpa e a vergonha associadas ao nome de sua família, isso por si só já é bastante traumático.

Bruninho nesse momento merece compaixão e ter sua escolha respeitada enquanto ela fizer sentido, afinal ele ainda é um adolescente e pode refazer e escrever sua própria história independente do passado de sua família.

Bruno tentou voltar a jogar futebol

A prisão de Bruno Souza não impediu seu desejo de voltar à atuar no futebol profissional. O primeiro contato que ficou próximo de acontecer o retorno do ex-camisa 1 aos gramados foi em abril de 2017. Na ocasião, o goleiro fechou contrato com o Boa Esporte, de Minas Gerais, porém, a pressão da torcida e patrocinadores fez a equipe mineira desistir.

Além do Boa, outras equipes profissionais tentaram a contratação, mas houve resistência dos investidores. Recentemente, o arqueiro disputou a “Liga dos Campeões”, torneio de várzea em São Paulo, com o Orion FC. Os próximos passos do defensor é iniciar sua carreira de coach esportivo, com enfoque no desenvolvimento mental para atletas.

Quer ficar por dentro das novidades do mundo das celebridades? Então, fique de olho no canal de Famosos do Fashion Bubbles!

  • Por fim, está bombando na rede BBB 23.

Compartilhe

Newsletter

Inscreva-se em nosso newsletter e receba diretamente em seu e-mail artigos exclusivos, dicas de beleza imperdíveis e as últimas novidades dos reality shows mais badalados. Não perca a chance de estar sempre à frente, conhecendo as tendências e segredos que só os verdadeiros conhecedores do universo fashion e do glamour dos realitys têm acesso!

Não fazemos spam! Leia mais em nossa política de privacidade.


Últimas notícias