Ansiedade: Como evitar? Causas, sintomas, tratamentos, tipos e mais

Ansiedade é um estado emocional caracterizado por sentimentos de tensão, preocupação e pensamentos ruins. Além de ser marcado pelo medo excessivo do futuro. Saiba a origem, como evitar, tratar e recursos físicos e emocionais para lidar com ela.

1.103

Poderíamos dizer que ansiedade é considerada um dos maiores fatores de estresse da atualidade. Ela ativa no corpo uma série de hormônios que retiram o sono, aceleram o coração, atrapalham a concentração e, se não for resolvida a tempo, pode ser a protagonista de grandes problemas na vida das pessoas.

O que é Ansiedade?

Os transtornos de ansiedade formam uma categoria de diagnósticos de saúde mental que levam a excesso de nervosismo, medo, apreensão e preocupação.

Esses distúrbios alteram como uma pessoa processa emoções e se comporta, causando também sintomas físicos, aumento da pressão arterial. A ansiedade leve pode ser vaga e inquietante, enquanto a ansiedade grave pode afetar seriamente a vida cotidiana.

 

O que pode causar ansiedade?

Essa é uma emoção normal ao ser humano, e surge comumente ao enfrentarmos situações estressantes. Porém, quando excessiva pode se tornar uma doença (CID 10 F41.1), como o transtorno de ansiedade generalizada, fazendo com que sintamos preocupação e medo extremo diante de situações simples da rotina.

Desta forma, gera uma condição emocional de sofrimento, definida pela expectativa de que algo inesperado e perigoso aconteça, diante da qual o indivíduo se acha indefeso.

Saber a diferença entre sentimentos normais de ansiedade e um transtorno de ansiedade que requer atenção médica, pode ajudar uma pessoa a identificar e tratar a doença.

Nesse artigo vamos abordar diversos aspectos dessa emoção.

 

Origem da Ansiedade: Instinto básico de fugir ou lutar

 

Quando um indivíduo enfrenta gatilhos potencialmente prejudiciais ou preocupantes, os sentimentos de ansiedade não são apenas normais, mas necessários para a sobrevivência.

Desde os primeiros dias da humanidade, a abordagem de predadores e o perigo que se aproxima desencadeia alarmes no corpo e permite ações evasivas. Esses alarmes tornam-se visíveis na forma de batimentos cardíacos elevados, sudorese e aumento da sensibilidade ao ambiente.

O perigo provoca uma onda de adrenalina, um hormônio e mensageiro químico no cérebro, que por sua vez desencadeia essas reações ansiosas em um processo chamado resposta de “lutar ou fugir”. Isso prepara os humanos para enfrentar ou fugir fisicamente de qualquer ameaça potencial à segurança.

Fugir ou lutar na atualidade

Para muitas pessoas, fugir de animais maiores e perigo iminente é uma preocupação menos urgente do que seria para os humanos primitivos. As ansiedades agora giram em torno do trabalho, dinheiro, vida familiar, saúde e outras questões cruciais que exigem a atenção de uma pessoa sem exigir necessariamente a reação de “lutar ou fugir”.

Desta forma, ansiedade é, basicamente, uma resposta do corpo vinda do sistema nervoso autônomo, que age independente do nosso pensamento racional, como um reflexo.

Ele tem a porção simpática, que tem reações de resposta ao estresse, preparando o corpo para fugir ou lutar em uma situação de perigo.

foto de homem lutando boxe

Na prática

Tudo isso ocorre com a liberação de adrenalina, que causa reações como:

  • Acelerar os batimentos cardíacos e contrair os vasos sanguíneos, para levar o sangue mais rapidamente
  • Dilatar os brônquios, para aumentar a respiração e o consumo de oxigênio
  • Diminuir a motilidade do intestino, para guardar energia para outras ações
  • Dilatar as pupilas, para melhorar a visão mesmo em pouca luz
  • Aumentar a liberação da glicose no sangue, para dar mais energia às células.

A liberação do cortisol também ocorre neste processo, o que traz alguns outros impactos ao corpo, como aumento da gordura corporal, inibição do muco da parede gástrica e trazendo fadiga ao cérebro.

O que acontece, é que este recurso era perfeito, na natureza quando encontrávamos um leão, por exemplo, assim fugíamos ou lutávamos e pronto! Tudo voltava ao normal.

Entretanto, o leão na atualidade, pode ser seu chefe, as contas a pagar, mas seu corpo, continua reagindo da mesma forma, e, como você não pode atacar, nem fugir, apesar de fisiologicamente, estar preparado para isso, essas reações que eram para ser temporárias, ficam crônicas, causando desequilíbrio no organismo, desencadeando sintomas como ansiedade e depressão.

Quais são os sintomas da ansiedade?

A ansiedade e seus transtornos podem causar sintomas tanto mentais quanto físicos, que atrapalham o dia a dia de diversas formas.

Embora a ansiedade possa causar angústia, nem sempre é uma condição médica.

Uma pessoa com ansiedade, apresenta muitos sintomas. Veja quais são os principais:

Sintomas psicológicos da ansiedade

  • Inquietação e uma sensação de estar “no limite”
  • Constante tensão ou nervosismo
  • Sensação de que algo ruim vai acontecer
  • Problemas de concentração
  • Medo constante
  • Descontrole sobre os pensamentos, principalmente dificuldade em esquecer o objeto de tensão
  • Preocupação exagerada em comparação com a realidade
  • Problemas para dormir
  • Irritabilidade
  • Agitação dos braços e pernas.

 

Sintomas físicos da ansiedade

  • Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração
  • Respiração ofegante ou falta de ar
  • Aumento do suor
  • Tremores nas mãos ou outras partes do corpo
  • Sensação de fraqueza ou fadiga
  • Boca seca
  • Mãos e pés frios ou suados
  • Náusea
  • Tensão muscular
  • Dor de barriga ou diarreia.

Sintomas de crise de ansiedade

Os sintomas da crise ansiosa são semelhantes ao da ansiedade generalizada. Porém, há alguns que são particulares da crise.

  • Palpitação
  • Calafrios
  • Sensação de garganta fechada
  • Falta de ar ou respiração alterada
  • Suor
  • Dores no peito
  • Tremores
  • Náusea
  • Formigamentos
  • Dores no peito
  • Vontade de fugir para um local seguro
  • Medo de perder o controle ou enlouquecer
  • Medo de morrer ou de uma possível tragédia

Sintomas do ataque de pânico

Os ataques de pânico, ou crises de ansiedade, são uma reação comum aos transtornos de ansiedade, principalmente na síndrome do pânico. Suas principais características são:

  • Sensação de nervosismo e pânico incontroláveis
  • Sensação de morte
  • Aumento da respiração
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Tonturas e vertigens
  • Problemas gastrointestinais.

Em alguns casos, os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como infarto e outros eventos cardiovasculares.

O que podemos fazer para diminuir ou evitar a ansiedade?

Basta atingir não apenas os sintomas, mas principalmente as causas. Assim, vamos buscar a origem dessa emoção e compreender seus gatilhos, procurando formas de lidar conscientemente com a ansiedade, diminuindo seu impacto no organismo.

Buscando a origem emocional da ansiedade

Tudo começa e termina com a consciência que devemos ter sobre nossos sentimentos.

Quando éramos crianças vivíamos nossas emoções com liberdade, mas a educação vai nos condicionando a algumas formas bem negativas de lidar com os sentimentos.

Por exemplo, ao chorar por algo que não tinha saído como queríamos, ouvíamos dos nossos pais “engole o choro” e, talvez, essa tenha sido uma das únicas lições sobre “inteligência emocional” que recebemos da família.

No entanto, a intenção aqui é não culpá-los, mas fazer você ver que a sua ansiedade talvez venha da infância. Isso também não significa o fim do mundo, pois, a vantagem que temos como seres humanos, é que podemos mudar o que quisermos em nosso comportamento e forma de ver a realidade.

Se você deseja mudar o seu estado ansioso, fica aqui comigo que até o final, tenho certeza que vai pesar e sentir bem diferente, além de aprender estratégias simples que podem ajudar resolver esse problema.

A mente e o seu jogo desleal

A nossa mente tem uma característica muito interessante, temos a mente consciente, inconsciente e superconsciente:

  • A mente consciente é aquela que analisa tudo, escolhe, define, classifica, delimita e toma decisões para ações específicas, podendo ser instintivas ou não.
  • A mente inconsciente funciona como uma executora, recebe ordens, guarda informações e executa exatamente o que recebeu para fazer.
  • A mente superconsciente seria a nossa mente ligada ao nosso lado mais refinado e potente, lidando com criatividade, intuição e sabedoria em um nível muito profundo.

O que essas três partes da nossa mente têm a ver com ansiedade?

A resposta é: tudo!

foto de mulher chorando

Resistência os sentimentos

A sua mente consciente não foi educada (guarde essa palavra!) a lidar com sentimentos, ela foi condicionada a resistir aos sentimentos e, toda essa resistência, só dá mais poder a eles.

Quem nunca perdeu a paciência por algo banal algum dia, que atire a primeira pedra!

Isso aconteceu porque todas as vezes que resistimos a algum sentimento, ele passa a ser um limite poderoso nos rodando, e, quando vacilamos, ele acaba nos vencendo e, então, perdemos completamente o controle. De certa forma, somos tomados por esse sentimento, e no momento que percebemos, o estrago já foi feito…

Jung tinha uma frase muito boa: tudo que você resiste, persiste.

Isso quer dizer que, quanto mais você resistir a um sentimento, mais ele vai ganhar terreno sobre você.

O problema é que não temos uma educação (olha a palavra aí de novo!) para lidar com os sentimentos. Isso nunca é ou foi ensinado.

Nossa educação foi condicionada apenas à resistência e essa resistência só aumenta a potência do sentimento sobre nós.

Ansiedade e frustração

Nesta situação temos dois fatores:

1. Desperdiçamos uma energia primordial para realizar o que mais queremos, além de perder a vitalidade física, pois todo o nosso sistema energético perde, literalmente, força, resistindo aos sentimentos.

2. Toda essa carga emocional imprime ou é impressa na nossa mente inconsciente.

No primeiro fator, esse desperdício de energia significa cansaço, noites mal dormidas, preocupação excessivas, baixa de imunidade, dores de cabeça, taquicardia, compulsões (todas), vícios e estresse e muito mais. Se identificou com alguma?

No segundo fator, a mente inconsciente é a executora e é justamente o sentimento que consegue imprimir as ordens que ele vai executar. Vou dar um exemplo:

Imagine que você tem muita ansiedade, principalmente, quando está esperando por algo que vai fazer muito bem a você. Imagine que esse algo que você está esperando não aconteça, por qualquer razão. A frustração passa a suceder a ansiedade.

A carga emocional da ansiedade, mais a frustração é tão forte, que o inconsciente recebe a informação como sendo algo muito importante para você e guarda a memória dessa situação.

Ansiedade e a eterna repetição

Como ele executa tudo, atrai e cria as sincronicidades ligadas ao fator que gerou inicialmente ansiedade e frustração, ou seja, você vai começar a experimentar essas sensações com frequência, num ciclo de repetição que parece sem fim.

Isso vai virar um impulso tão forte que mesmo que, por uma única vez, a situação em questão dê certo, você vai continuar sentindo ansiedade e frustração, porque já está condicionada ao sentimento programado em seu subconsciente.

Esse jogo da mente é desleal, porque muitas pessoas não tem a menor ideia do que está acontecendo e não consegue entender porque vive em ciclos de repetição.

O segredo que não te contaram

A maioria das pessoas, por não saber lidar com os sentimentos, vive resistindo a eles. E esse é o maior problema. Pois, os sentimentos não são nosso inimigos.

Os sentimentos apontam para a nossa parte da vida que precisa ser vivida com atenção, ou para termos melhores resultados ou para, simplesmente, usufruirmos e marcarmos o momento em nosso inconsciente.

Se eu perguntar quais foram o melhor e o pior momento da sua vida até aqui, tenho certeza que você vai me responder. Agora, se eu perguntar o que você almoçou na semana passada você vai ter dificuldade para lembrar.

Por que isso acontece?

Porque são os sentimentos que estão impressionando ou pontuando para o inconsciente o que é importante.
E tem um detalhe, o inconsciente não julga, então para ele, tanto faz se é um sentimento bom ou ruim. Se tem sentimento, é para ser marcado como importante.

Acolhendo os sentimentos

Você consegue ter a noção do que isso realmente significa em sua vida?

O segredo é que você não está mais condenado a resistir aos sentimentos, você pode mudar a forma como lida com eles sem ser resistência.

Comece a observá-los e acolhê-los e não a resistir a eles. Quando você começa a observá-los sem reação alguma, você começa a tomar controle da situação.

Meu foco aqui é fazer com que você consiga se livrar ou evitar a ansiedade, então eu vou agora ajudá-lo a ter uma percepção diferente sobre a ansiedade.

Ansiedade – Um novo olhar

 

Mulher com um novo olhar - ansiedade
Foto de Jacob Pilatoe no Pexels

Todo sentimento tem uma característica curiosa de atemporalidade. O que isso significa?

Ele não tem tempo e nem segue exatamente o tempo. Quando estamos felizes, aquele momento parece eterno, já sentiu isso? Da mesma forma, quando estamos sofrendo, isto também parece que vai continuar doendo por toda eternidade, daí a importância de lembrar que vai passar…

Se eu pedir para você descrever o melhor momento da sua vida, você vai começar a sentir exatamente o que sentiu no momento descrito, mesmo que ele tenha acontecido há mais de dez anos atrás, não é?!

A nossa mente consciente segue uma linha temporal, mas nossos sentimentos não.

No entanto, a ansiedade e a depressão, em particular, são um dos pouquíssimos sentimentos que interferem na nossa percepção de tempo, levando nossa mente para futuro ou passado.

A ansiedade está sempre tentando levar você para o futuro, coisa que você fisicamente não tem qualquer controle. E esse é o ponto chave da ansiedade, ela quer fazer você acreditar que tem controle. E neste caso, controle sobre o tempo.

Na depressão, ocorre o inverso, a pessoa é levada até o passado e vive naquele tempo.

Qual o caminho da cura no caso da ansiedade?

Teríamos uma série de possibilidades para isso, mas quero deixar algumas em especial em seguida, e ao final do artigo algumas dicas simples e até com receitas caseiras para você poder lançar mão e vencer essa situação.

Vamos dividir assim: recursos e ferramentas para sua mente e recursos e ferramentas para o seu corpo.

Recursos e ferramentas para sua mente no combate à ansiedade

Treinamento é tudo!

Que tal você praticar duas coisas para se sentir melhor em relação à ansiedade?

Mantenha sua mente no presente

Uma forma de manter a sua mente no presente, é escrever sobre os seus sentimentos relacionados aos acontecimentos do dia.

Para ajudar a focar sua mente no agora, isto é, nas coisas que você efetivamente pode controlar,  obtenha um diário ou um caderno de forma que possa anotar os fatos do seu dia a dia e a forma como tem sentido a vida acontecendo.

Isso pode parecer bobo, mas a verdade é que esse hábito é capaz de reduzir drasticamente a ansiedade e seus efeitos nocivos.

Ao se manter no presente, trazendo a mente e traçando um diálogo consigo mesma para o momento presente, você vai educando (olha a palavra aqui novamente!), a sua mente a mudar a forma como lida com a situação. Reconhecendo que não tem controle sobre o tempo.

Dando continuidade, ao começar a escrever sobre o seu dia e seus sentimentos, você vai começar a perceber que toda a carga que normalmente ficaria rodando na sua cabeça, consumindo energia e destruindo a sua saúde física, mental e emocional, consequentemente, vai sendo aliviada ao ser colocada no papel.

Esse ato gera uma informação para o seu cérebro de que ele não precisa guardar ou ficar repetindo aquela informação (criando roteiros ou ruminando as situações). Desta forma, é como se você tivesse armazenado a informação no HD externo do seu computador, para não sobrecarregá-lo.

Lidando com a ansiedade

Vou deixar uma super dica que o aliviará imediatamente da ansiedade quando ela surgir.

Eu desenvolvi um método muito eficiente ao longo dos meus 20 anos de atendimentos com pessoas em desequilíbrio emocional, a Reprogramação Quântica Emocional.

É uma técnica nova que ajudar pessoas a reprogramarem suas vidas a partir da Rede Emocional, pois acredito que todas as emoções e sentimentos nunca caminham sozinhas em nossa jornada.

Para facilitar vou deixar um link de um vídeo onde você pode experimentar a primeira sessão e, pode ter certeza, vai obter resultado assim que terminar de executar o que ensino nela. Você vai precisar apenas assistir e seguir às instruções.

E para quem quer evitar a ansiedade?

Os recursos são basicamente os mesmos, manter a mente consciente no presente e com foco no que pode ser efetivamente controlado e adquirir o habito de um diário.

Ah! Talvez você seja daquelas pessoas que não gostam muito de cadernos, escritas, etc. Tem um aplicativo que você pode baixar para o seu telefone aqui e então ter o seu diário sempre com você.

Viu? Agora que você está compreendendo o mecanismo, e está adquirindo ferramentas físicas e emocionais, pode se trabalhar e estar atento para evitar ser uma pessoa ansiosa ou eliminar a parte nociva da ansiedade na sua vida.

Existem outros recursos?

Sim, claro que existem!

Agora vamos ver sobre os recursos físicos que você pode fazer uso hoje.

 

Recursos e ferramentas para o seu corpo tratar ansiedade

 

  • Remédio para ansiedade caseiro

Que tal fazer uso de chás?! Muitas pessoas lançam mão de chás e se você não sabe nada sobre eles, eu separei aqui uma combinação que vai fazer toda a diferença para você.

A primeira coisa que você precisa saber aqui, é que existe uma ciência por trás dessa receita. Primeiro que temos raiz, casca, folhas e flores.

Esse preparo deve seguir exatamente a receita e você deve tomar sempre a noite 30 minutos antes de dormir.

  • Chá para aliviar ansiedade

Veja a receita para uma xícara de chá:

Ingredientes:
½ colher de café de raiz valeriana
½ colher de café de casca de mulungu
½ colher de sopa de folhas de hortelã
½ colher de chá de flores de camomila.

Modo de preparo:

Ferva primeiro a casca e a raiz por uns 10 min, depois apague o fogo e coloque as folhas de hortelã e as flores de camomila, abafe e deixe amornar para consumir. Se quiser pode mistura um pouco de mel para adoçar.

Atenção! As quantidades são bem pequenas mesmo, não aumente a dose para ter efeito mais rápido. Você vai dormir muito bem e tudo vai se normalizando gradativamente. Tome esse chá por 7 dias no máximo e só volte a consumi-lo quando voltar a se sentir ansiosa.

Cha com camomila pra tratar ansiedade
Foto de Maria Tyutina no Pexels
Você também pode gostar!
  • Terapia Floral

Os Florais são uma maravilhosa ferramenta no combate à ansiedade. As essências que vou indicar aqui serão genéricas, pois para um trabalho mais específico com os Florais o correto é que você procure um terapeuta para escolher uma forma personalizada.

Estes você deve solicitar numa farmácia de manipulação: Rescue Remedy, Aspen, Walnut, Cherry Plum, Mimulus.

Faça uso dessa combinação de Essências Florais, tomando quatro gotas quatro vezes ao dia. Uma das vantagens é que você pode levar na bolsa.

Os efeitos dos Florais vão sendo percebidos gradativamente, a fórmula vai durar cerca de trinta dias.

Últimas considerações

Para finalizar, espero que tudo o que leu até aqui posso ajudá-la a lidar com esse sentimento que tem criado tanto problemas na vida das pessoas.

Percebeu que a ansiedade não é sua inimiga, ela é apenas um sentimento que faz parte de você, mas não é você. Portanto, você tem total condição de lidar com ela ou com qualquer outro sentimento, desde que entenda o mecanismo e saiba como fazer. Agora você já sabe!

Abraços,
Alessandra França

***

Prevenção da Ansiedade

Como evitar ansiedade? Um estilo de vida ativo com uma dieta equilibrada pode ajudar a manter as emoções ansiosas dentro de limites saudáveis.

A ansiedade em si não é uma condição médica, mas uma emoção natural que é vital para a sobrevivência quando um indivíduo se vê diante de um perigo.

Um transtorno de ansiedade se desenvolve quando essa reação se torna exagerada ou desproporcional ao gatilho que a causa, contudo, é possível preveni-la.

Assim, existem maneiras de reduzir o risco de transtornos de ansiedade. Siga as etapas a seguir para ajudar a moderar emoções ansiosas:

  • Exercícios físicos diários
  • Reduza a ingestão de cafeína, chá, cola e chocolate.
  • Antes de usar remédios vendidos sem receita (OTC) ou ervas, verifique com um médico ou farmacêutico se há produtos químicos que possam piorar os sintomas de ansiedade.
  • Mantenha uma dieta saudável: balanceada, equilibrada e de boa qualidade
  • Cuidados com a qualidade do sono.
  • Técnicas de relaxamento
  • Terapia
  • Arte
  • Lazer
  • Religiosidade
  • Evite álcool, cannabis e outras drogas recreativas.

 

Ansiedade tem cura?

A maior parte das pessoas com ansiedade começa a se sentir melhor e retoma as suas atividades depois de algumas semanas de tratamento. Por isso, é importante procurar ajuda especializada na unidade de saúde mais próxima.

O diagnóstico precoce e preciso da ansiedade, com tratamento eficaz e acompanhamento por um prazo longo, são imprescindíveis para obter melhores resultados e menores prejuízos.

Em síntese, as mudanças de hábitos e causas que desencadearam a ansiedade, também serão importante para que você se mantenha saudável neste quesito.

 

Complicações possíveis

Pessoas ansiosas há muito tempo e sem tratamento podem ter uma série de problemas físicos como:

  • Dificuldades de memória, devido à liberação excessiva de adrenalina e cortisol
  • Hipertensão: também devido ao excesso de adrenalina, que ao aumento da frequência cardíaca
  • Diabetes: como a ansiedade vem do instinto de fugir ou lutar
  • Gastrite nervosa: a ansiedade pode causar modificações no suco gástrico, aumentando sua liberação, o que pode trazer sintomas semelhantes à gastrite
  • Dores no corpo: com o impulso de fugir ou lutar, os músculos do corpo ficam mais tensos, podendo intensificar dores nas costas, pernas e ombros, além de pequenos tiques nervosos.

A ansiedade excessiva não tratada pode levar a outros problemas de saúde, como:

  • Depressão
  • Abuso de substâncias
  • Insônia e outros distúrbios do sono
  • Problemas digestivos
  • Isolamento social
  • Problemas nos estudos, trabalho e vida pessoal
  • Suicídio.

Crise de Ansiedade, o que fazer?

Como controlar a crise de ansiedade? Seguem alguns passos que podem ajudá-lo:
  1. Desvie a atenção dos sintomas. Um dos principais motivos para que a crise de ansiedade se torne mais intensa é começar a se preocupar ainda mais ao pensar nos sintomas que estão surgindo.
  2. Diminua o ritmo da respiração. Segure a respiração, coloque uma mão sobre a barriga e a outra sobre o peito e comece a respirar devagar, utilizando o diafragma. Inspire pelo nariz, segure a respiração por três segundos e expire pela boca lentamente. Você deve sentir o abdômen subindo e descendo.
  3. Relaxe os músculos através de algum exercício de relaxamento.
  4. Se distraia. Para acalmar o turbilhão de pensamentos preste atenção em alguma outra coisa: o céu azul, a pessoa com que está conversando ou qualquer outra coisa.
  5. Use a imaginação guiada. Pense em um lugar em que se sinta em paz e relaxado! Imagine detalhes da cena, o cheiro.

Convivendo com ansiedade / Prognóstico

Além de seguir o tratamento à risca, alguns cuidados caseiros podem ajudar na recuperação de quem sofre de ansiedade excessiva. Veja alguns abaixo:

  • Pratique atividades físicas
  • Reduza seu estresse diário
  • Estabeleça equilíbrio na hora de atender a expectativa da sociedade, família e amigos
  • Experimente controlar a respiração
  • Evite pensamentos negativos, mas se tiver, observe com consciência, sem julgá-los
  • Invista em alimentos com triptofano
  • Tome um chá
  • Mantenha foco de atenção no presente
  • Seja mais organizado
  • Esteja com quem você ama
  • Faça coisas que gosta
  • Evite agradar os outros
  • Você em primeiro lugar
  • Dedique tempo para se cuidar
  • Cuide dos seus pensamentos para sorrir mais
  • Confie mais em si mesmo
  • Desenvolva congruência
  • Fortaleça o autoconhecimento
  • Faça terapia
  • Cuide bem do seu momento antes de dormir
  • Evite pensar no trabalho ao se deitar
  • Aprenda lidar com a solidão

Aplicativos gratuitos para ajudar a controlar a ansiedade

 

  • Calm

O Calm é um dos principais aplicativos de meditação, ideal para quem precisa melhorar o sono e reduzir o estresse e a ansiedade. O app oferece música relaxante, histórias para dormir, programas de meditação guiada e exercícios de respiração que podem ser executados em qualquer lugar.

 

  • Querida Ansiedade

Desenvolvido pela psicóloga Camila Wolf, o app Querida Ansiedade já deixa claro qual é o seu propósito pelo nome. Disponível para Android e iOS, a plataforma se propõe a esclarecer dúvidas sobre a ansiedade e também a oferecer exercícios para controlar e reverter o sentimento.

  •  Lojong

“Uma academia para a mente” é como se define o aplicativo Lojong. Além de realizar práticas guiadas de mindfulness, o usuário do app pode aliviar a ansiedade trilhando um “caminho” de dez etapas graduais que ensinam a meditar e treinar a mente.

  •  Daylio

O Daylio funciona como um diário em que você não precisa digitar uma única linha, registrando seus sentimentos. É possível escolher seu humor, adicionar as atividades que do dia e fazer algumas anotações. O app agrupa os dados registrados e cria estatísticas para ajudá-lo a entender melhor seus hábitos.
Aplicativos para ajudar no controle da ansiedade (Foto: Divulgação)

  • Rootd

O Rootd é voltado para ajudar com ataques de pânico e ansiedade no momento em que eles surgem. Para isso, a plataforma combina um processo guiado para alívio imediato e de longo prazo, oferecendo lições, ferramentas e exercícios com eficácia comprovada.

  • Meditopia

O objetivo do Meditopia é ser “o app que vai tocar a sua alma”. O app oferece músicas com sons da natureza, disponíveis para download, e mais de 250 exercícios de meditação, destinados a proporcionar relaxamento em diversas situações, como ao acordar e depois do trabalho.

  • Ansiedade – Controle de Humor e Chat

O aplicativo traz uma série de notícias sobre a ansiedade, tem um diário de registro de humor e coloca o usuário em contato com outras pessoas que usam o aplicativo para se ajudarem. Com avaliação de 4,7 estrelas na Google Play.

Aplicativos em inglês e pagos:

  • Self-Help for Anxiety Management

Este app permite o usuário registrar o que o deixa ansioso, como sua ansiedade está naquele momento, entre outras ferramentas. Sua nota na Google Play é de 4 estrelas.

  • Worry Watch – Anxiety Journal

O app permite o acompanhamento das irritações diárias para análise dos padrões de ansiedade. Sua nota na Apple Store é de 5 estrelas e o valor para baixá-lo é de US$ 1,99.

Ansiedade, como controlar? Qual o tratamento para ansiedade?

Em primeiro lugar, saber a diferença entre sentimentos normais de ansiedade e um transtorno de ansiedade que requer atenção médica pode ajudar uma pessoa a identificar e tratar a doença.

Os tratamentos consistirão em uma combinação de psicoterapia, terapia comportamental e medicamentos.

Dependência de álcool, depressão ou outras condições, às vezes podem ter um efeito tão forte no bem-estar mental que o tratamento de um transtorno de ansiedade deve esperar até que todas as condições subjacentes sejam controladas.

Autotratamento

Yoga pode reduzir os efeitos de um transtorno de ansiedade.
Em alguns casos, uma pessoa pode tratar um transtorno de ansiedade em casa sem supervisão clínica. No entanto, isso pode não ser eficaz para transtornos de ansiedade graves ou de longo prazo.

Existem vários exercícios e ações para ajudar uma pessoa a lidar com transtornos de ansiedade mais leves, mais focados ou a curto prazo, incluindo:

  • Gerenciamento de estresse

Aprender a gerenciar o estresse pode ajudar a limitar possíveis gatilhos. Organize quaisquer pressões e prazos futuros, compile listas para tornar mais difíceis as tarefas assustadoras e comprometa-se a tirar uma folga do estudo ou do trabalho.

  • Técnicas de relaxamento

Atividades simples podem ajudar a acalmar os sinais mentais e físicos da ansiedade. Essas técnicas incluem meditação, exercícios de respiração profunda, banhos longos, descanso no escuro e ioga.

  • Exercícios para substituir pensamentos negativos por positivos
  1. Faça uma lista dos pensamentos negativos que podem estar circulando como resultado da ansiedade e escreva outra lista ao lado, contendo pensamentos positivos e confiáveis ​​para substituí-los.
  2. Criar uma imagem mental de enfrentar e vencer com sucesso um medo específico também pode trazer benefícios se os sintomas de ansiedade estiverem relacionados a uma causa específica, como em uma fobia.
  • Rede de suporte

Converse com pessoas familiares que apoiam, como um membro da família ou amigo. Os serviços do grupo de suporte também podem estar disponíveis na área local e online.

  • Exercício

O esforço físico pode melhorar a autoihttps://www.fashionbubbles.com/colaboradores/yoga-e-sua-pratica/magem e liberar substâncias químicas no cérebro que desencadeiam sentimentos positivos.

  • Aconselhamento

Uma maneira padrão de tratar a ansiedade é o aconselhamento psicológico. Isso pode incluir terapia cognitivo-comportamental, psicoterapia ou uma combinação de terapias.

  • Alterando padrões

Esse tipo de psicoterapia visa reconhecer e alterar padrões de pensamento prejudiciais que formam a base de sentimentos de ansiedade e problemas. Nesse processo, os praticantes da TCC esperam limitar o pensamento distorcido e mudar a maneira como as pessoas reagem a objetos ou situações que desencadeiam ansiedade.

Por exemplo, um psicoterapeuta que fornece TCC para o transtorno do pânico tentará reforçar o fato de que os ataques de pânico não são realmente ataques cardíacos . A exposição a medos e gatilhos pode fazer parte da TCC. Isso encoraja as pessoas a enfrentar seus medos e ajuda a reduzir a sensibilidade aos seus gatilhos habituais de ansiedade.

 

Foto de mulher desesperada com as mãos na cabeça
Foto de David Garrison no Pexels

Medicamentos

Uma pessoa pode apoiar o gerenciamento da ansiedade com vários tipos de medicamentos.

Os medicamentos que podem controlar alguns dos sintomas físicos e mentais incluem antidepressivos , benzodiazepínicos, tricíclicos e betabloqueadores .

Benzodiazepínicos

Um médico pode prescrevê-los para certas pessoas com ansiedade, mas elas podem ser altamente viciantes. Esses medicamentos tendem a ter poucos efeitos colaterais, exceto sonolência e possível dependência. Diazepam, ou Valium, é um exemplo de benzodiazepina comumente prescrita.

Antidepressivos

Estes geralmente ajudam na ansiedade, embora também tenham como alvo a depressão. As pessoas costumam usar inibidores da recaptação de serotonina (ISRS), que têm menos efeitos colaterais que os antidepressivos mais antigos, mas provavelmente causam nervosismo, náusea e disfunção sexual quando o tratamento começa.

Outros antidepressivos incluem fluoxetina ou Prozac e citalopram ou Celexa.

Tricíclicos

Esta é uma classe de medicamentos mais antigos que os ISRS que fornecem benefícios para a maioria dos transtornos de ansiedade que não sejam o TOC. Esses medicamentos podem causar efeitos colaterais, incluindo tontura, sonolência, boca seca e ganho de peso. A imipramina e a clomipramina são dois exemplos de tricíclicos.

Drogas adicionais que uma pessoa pode usar para tratar a ansiedade incluem:

  • Inibidores da monoamina oxidase (MAOIs)
  • Bloqueadores beta
  • Buspirona

Atenção: No caso de medicações, procurar o médico é essencial. Se já estiver medicado e sentir que os efeitos adversos de qualquer medicamento prescrito se tornem graves, orientação médica é de extrema importância.

Foto de mulher com rosto forrado de plástico - Falta de ar
Foto de Dark Indigo no Pexels

Quando a ansiedade precisa de tratamento?

 

A duração ou gravidade de um sentimento de ansiedade às vezes pode ser desproporcional ao gatilho ou estressor original. Sintomas físicos, como aumento da pressão arterial e náusea, também podem se desenvolver. Essas respostas vão além da ansiedade para um transtorno de ansiedade.

Uma pessoa com transtorno de ansiedade, pode ser descrita como “tendo pensamentos ou preocupações intrusivos recorrentes”. Quando a ansiedade atinge o estágio de um distúrbio, pode interferir na função diária.

 

Transtornos de ansiedade, tipos

 

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos da Saúde Mental: Quinta Edição (DSM-V) classifica os transtornos de ansiedade em vários tipos principais.

Os transtornos de ansiedade agora incluem os seguintes diagnósticos .

  • Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)

É um distúrbio crônico que envolve ansiedade excessiva e duradoura e preocupações com eventos, objetos e situações não específicos da vida. O TAG é o distúrbio de ansiedade mais comum, e as pessoas com esse distúrbio nem sempre são capazes de identificar a causa de sua ansiedade.

  • Transtorno do pânico

Ataques breves ou repentinos de intenso terror e apreensão caracterizam o transtorno do pânico. Esses ataques podem levar a tremores, confusão, tontura, náusea e dificuldades respiratórias. Os ataques de pânico tendem a ocorrer e aumentam rapidamente, atingindo o pico após 10 minutos. No entanto, um ataque de pânico pode durar horas.

Os transtornos de pânico geralmente ocorrem após experiências assustadoras ou estresse prolongado, mas também podem ocorrer sem um gatilho. Um indivíduo que sofre um ataque de pânico pode interpretá-lo mal como uma doença com risco de vida e pode fazer mudanças drásticas no comportamento para evitar futuros ataques.

  • Fobia específica

Trata-se de um medo irracional e evita um objeto ou situação em particular. As fobias não são como outros transtornos de ansiedade, pois se relacionam a uma causa específica.

Uma pessoa com fobia pode reconhecer um medo como ilógico ou extremo, mas permanece incapaz de controlar a ansiedade dos sentimentos em torno do gatilho. Os gatilhos para uma fobia variam de situações e animais a objetos do cotidiano.

  • Agorafobia

É um medo e o evitar de lugares, eventos ou situações das quais pode ser difícil escapar ou em que a ajuda não estaria disponível se uma pessoa ficar presa. As pessoas geralmente entendem mal essa condição como uma fobia de espaços abertos e ao ar livre, mas não é tão simples. Uma pessoa com agorafobia pode ter medo de sair de casa ou usar elevadores e transporte público.

  • Mutismo seletivo

É uma forma de ansiedade que algumas crianças experimentam, nas quais não conseguem falar em determinados lugares ou contextos, como a escola, mesmo que tenham excelentes habilidades de comunicação verbal em torno de pessoas familiares. Pode ser uma forma extrema de fobia social.

 

  • Transtorno de ansiedade social ou fobia social

É um medo de julgamento negativo de outras pessoas em situações sociais ou de constrangimento público. O transtorno de ansiedade social inclui uma série de sentimentos, como medo do palco, medo da intimidade e ansiedade em relação à humilhação e rejeição.

Esse distúrbio pode levar as pessoas a evitar situações públicas e o contato humano a ponto de tornar a vida cotidiana extremamente difícil.

  • Transtorno de ansiedade de separação

Altos níveis de ansiedade após a separação de uma pessoa ou local que fornece sentimentos de segurança ou segurança caracterizam o transtorno de ansiedade de separação. Às vezes, a separação pode resultar em sintomas de pânico.

  • Transtorno de estresse pós-traumático

O transtorno do estresse pós-traumático (CID 10 F43.1)(TEPT) pode ser definido como um distúrbio da ansiedade caracterizado por um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais.

Esse quadro ocorre devido à pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros. Quando ele se recorda do fato, revive o episódio como se estivesse ocorrendo naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento vivido na primeira vez.

Essa recordação, conhecida como revivescência, desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais.

  • Ansiedade noturna

A ansiedade noturna está relacionada à privação de sono, reduzindo a qualidade de vida de quem sofre com o problema.

De acordo com informações da Associação de Ansiedade e Depressão da América (ADAA), 50% dos adultos afirmam experimentar maiores níveis do distúrbio emocional durante a noite.

Para muitas pessoas, a hora de dormir pode ser o único momento em que é possível refletir sobre a rotina. Por conta disso, tendemos a pensar em preocupações e antecipar o que devemos fazer no dia seguinte.

Consequentemente, nossa mente entende o momento de deitar-se na cama como um fator estressante, o que aumenta nossos níveis de adrenalina no período noturno, e impossibilita o sono.

Causas dos Transtornos de Ansiedade

As causas dos transtornos de ansiedade são complicadas. Muitos podem ocorrer de uma só vez, alguns podem levar a outros, e alguns podem não levar a um transtorno de ansiedade, a menos que outro esteja presente.

As possíveis causas incluem:

  • Estressores ambientais, como dificuldades no trabalho, problemas de relacionamento ou problemas familiares
  • Genética, pois as pessoas que têm familiares com um transtorno de ansiedade têm maior probabilidade de experimentar um
  • Fatores médicos, como sintomas de uma doença diferente, efeitos de um medicamento ou estresse de uma cirurgia intensiva ou recuperação prolongada
  • Química do cérebro, como psicólogos definem muitos distúrbios de ansiedade como desalinhamentos de hormônios e sinais elétricos no cérebro
  • Retirada de uma substância ilícita, cujos efeitos podem intensificar o impacto de outras causas possíveis

Enfim, um transtorno de ansiedade se desenvolve quando essa reação se torna exagerada ou desproporcional ao gatilho que a causa. Existem vários tipos de transtorno de ansiedade, incluindo transtorno do pânico, fobias e ansiedade social.

O tratamento envolve uma combinação de diferentes tipos de terapia, medicação e aconselhamento, juntamente com medidas de autoajuda.

Em síntese, um estilo de vida ativo com uma dieta equilibrada pode ajudar a manter as emoções ansiosas dentro de limites saudáveis.

Como sei quando minhas emoções ansiosas começaram a ocorrer fora de proporção com o gatilho?

A indicação mais clara de que a ansiedade está se tornando problemática, é quando começa a  achar cada vez mais difícil fazer coisas que a pessoa costumava fazer com relativa facilidade.

Isso pode significar desde, conversar na frente de um grupo de pessoas, ir ao supermercado, separar-se de um ente querido ou cuidador ou andar de elevador. Para finalizar, se a ansiedade começa a atrapalhar, é definitivamente hora de tratá-la!

Atenção: Todo o conteúdo é estritamente informativo e não deve ser considerado aconselhamento médico.

Fontes: Minha Vida, Medical News Today

você pode gostar também