Mulher sofrendo de depressão no trabalho.

Depressão no trabalho: 5 profissões que aumentam o risco da doença

Jornadas longas e estressantes tornam várias profissões com maior chance de depressão no trabalho. Veja quais são e como evitar a doença

Compartilhe

Segundo o Ministério da Saúde, a cada quatro pessoas, uma possui algum tipo de problema que impacta a saúde mental. Dentre elas, uma das que mais acomete jovens e adultos é a depressão no trabalho, condição psicopatológica caracterizada por tristeza profunda e falta de interesse daquilo que gostava.

Existem diversos fatores que podem levar uma pessoa ao diagnóstico de depressão, inclusive, o ambiente de trabalho.

Por isso, estudos identificaram profissões que têm maior incidência de profissionais afastados devido ao impacto emocional da rotina. Veja a lista:

Profissões com mais funcionários depressivos

A lista de profissões relacionadas à depressão que mostraremos a seguir foi realizada a partir de uma pesquisa publicada pela revista americana Health e divulgada pelo Ministério da Previdência Social brasileiro.

Reunião com profissionais discutindo.
Fonte: Canva

Para isso, os estudiosos coletaram dados de pessoas que possuem maior probabilidade de desencadear a doença a partir da profissão. Continue lendo!

  • Aproveite e nos siga no Google News para para saber tudo sobre Moda, Beleza, Famosos, Décor e muito mais. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News!

1. Policiais

A rotina de um agente de segurança pública é bastante corrida e estressante. Atender a inúmeras ocorrências, lidar com pessoas estressadas e ter casos de perseguições são fatores que esgotam facilmente a saúde mental.

Além disso, longas horas de expediente podem contribuir ainda mais para a tristeza profunda e a depressão.

Outro fator que interfere no estudo é a pressão a qual esses profissionais são submetidos, não apenas por seus superiores dentro da instituição a que estão vinculados, mas também da população no geral.

Ademais, o cansaço físico também é significativo nesta profissão. Isso porque a maioria dos policiais passam pouco tempo em escritórios e andam de um ponto a outro na cidade, o que torna o descanso cada vez mais curto e raro.

2. Artistas e escritores

O mercado de trabalho para essas profissões é considerado cruel por muitos deles. Apesar de vermos artistas o tempo todo na televisão, existem vários outros que não conseguem essa oportunidade. Ou ainda os que chegaram lá, mas não conseguem a liberdade criativa que almejavam.

Escritor com depressão no trabalho.
Fonte: Canva

Especialmente no Brasil, essa classe não é valorizada e há uma saturação no mercado de trabalho, tanto para artistas quanto para escritores. Por isso, quesitos como baixa remuneração e impedimento de expor sua criatividade podem desencadear um quadro depressivo.

É importante mencionar que artista é a classificação de uma série de profissões, como atores, circenses, pintores, músicos, escultores, entre outros.

3. Telemarketing

O operador de telemarketing está no pódio dos profissionais com maior risco de depressão no trabalho. Parte disso se deve ao fato de que eles são submetidos à pressão no cumprimento de metas e um ambiente de trabalho altamente competitivo.

Além disso, lidar com o público também é uma condição que impacta a saúde mental. Afinal, conversar com pessoas hostis e grosseiras é um hábito diário do profissional de telemarketing.

O local de trabalho também não ajuda muito. Salas amplas com diversas pessoas juntas e falando ao mesmo tempo contribuem para o cansaço mental.

4. Professores

Imagine ter que lidar com 30 crianças ou adolescentes em uma sala de aula? Todas falando ao mesmo e você tendo que passar um novo conteúdo e, ao chegar em casa, após horas de trabalho árduo, ter que corrigir provas.

Por isso, professores estão entre as profissões com maior risco de depressão do mundo.

Professor esgotado mentalmente.
Fonte: Canva

A rotina, que vai além das 40 horas semanais, adicionada ao tempo que ficam de pé durante esse período e o uso constante da voz elevada interferem não apenas na saúde física, mas também na mental.

Porém, engana-se que esse quadro se restringe aos professores da educação básica. Docentes do ensino técnico e superior também estão inclusos na estatística.

5. Profissionais da saúde

Especialmente durante a pandemia de covid-19, os profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem) foram submetidos a uma elevação considerável de atendimentos.

Além disso, a periculosidade da profissão foi aumentada em grau máximo. Com isso, os riscos de depressão se intensificaram durante esse período.

Fazer múltiplos atendimentos ao mesmo tempo e ouvir queixas durante horas seguidas são fatores que implicam a adição da profissão nessa lista.

Profissional da saúde com depressão no trabalho.
Fonte: Canva

Outro fator importante de destacar é o ambiente em que atuam. As luzes brancas de hospitais e consultórios são usadas para nos deixar despertos. Então, é difícil relaxar nesse espaço.

Dessa forma, uma longa jornada de trabalho pode tornar difícil desligar a mente na hora de dormir e, consequentemente, isso resulta em estresse, insônia, ansiedade e depressão no trabalho.

Ao final, se você se enquadra em alguma dessas profissões ou conhece alguém que esteja passando por isso, saiba que existem alguns hábitos que podem diminuir esse risco. Saiba quais são.

  • Você também pode gostar Mindfulness: os benefícios da prática para a saúde física e mental

Como diminuir o risco de depressão no trabalho?

Conforme visto anteriormente, a depressão é uma condição psicopatológica desencadeada por uma série de fatores. Por isso, é importante criar hábitos de vida saudáveis que diminuem tais riscos.

Policial feliz.
Fonte: Canva

Desta forma, fizemos uma lista de como diminuir o risco de depressão no trabalho:

1. Faça terapia

Assim como cuidamos da saúde física, também devemos estar atentos às condições mentais. Por isso, fazer terapia e ter o acompanhamento de um profissional da área é essencial para diminuir os riscos e os sintomas da depressão no trabalho.

Além disso, caso haja necessidade, o psicólogo também poderá te encaminhar a um psiquiatra.

2. Pratique atividade física

Embora seja difícil diminuir a pressão do trabalho, existem estratégias que podem ser adotadas fora dele que impactarão a jornada de trabalho. E uma delas é a prática de atividade física.

Mulher fazendo yoga ao ar livre.
Fonte: Canva

Diversos estudos já comprovaram que fazer academia, exercícios aeróbicos e lutas ajudam a desestressar, diminuem a ansiedade e a depressão. Por isso, tente incluir algum exercício ao menos três vezes na semana.

3. Não se esqueça do que gosta de fazer

Se você está em algumas dessas profissões, mas não exerce exatamente o que gostaria, não deixe esse sonho morrer. Estude em casa e pratique em outro ambiente, se possível.

Além disso, essa condição inclui também a prática de hobbies. Por exemplo, ler, dançar e se reunir com os amigos também são formas de relaxar a mente e diminuir o risco de depressão no trabalho.

Conclusão – depressão no trabalho

É importante destacar que a depressão pode ser causada por uma série de fatores, não apenas o trabalho. Desse modo, não deixe de cuidar da saúde mental com ajuda de um psicólogo ou terapeuta.

Compartilhe

Notícias em Alta

Últimas Notícias