Você sabe qual a causa do mau hálito? No Brasil, cerca de 30% da população sofre com esse problema. Sendo assim, conhecer as causas é a melhor forma para saber como prevenir. 

Além disso, com a chegada da frente fria no Brasil, esse problema de saúde fica ainda mais evidente. Isso é comum nesta época do ano devido às mudanças de hábitos que ocorrem nos dias mais frios. 

Esse tema foi pauta em um dos maiores realities do país nesta semana, o Power Couple Brasil. Durante uma discussão, um dos participantes mencionou que havia uma integrante que tinha mau hálito. 

Portanto, se você foi alertado sobre esse problema ou quer ajudar outra pessoa, continue lendo. Afinal, separamos as principais dúvidas dos internautas sobre o mau hálito, são elas: 

  • O que provoca mau hálito? 
  • O que fazer para tirar o mau hálito?
  • Como saber se o mau hálito vem do estômago? 

Boa leitura! 

O que provoca mau hálito? 

Mulher com mau hálito.
Fonte: Canva

Conhecido também como halitose, o mau hálito, na maioria das vezes, sem sua origem na língua. 

Esse órgão é formado por papilas que são responsáveis por levar ao cérebro o sabor do alimento. Porém, entre as papilas existem as criptas, que são saquinhos minúsculos que acumulam restos alimentares e células que geram a descamação do epitélio lingual. 

Apesar de ser necessário para o sistema digestivo, o acúmulo desse resto alimentar dentro das criptas é o meio perfeito para cultivo de bactérias. Sendo assim, após um processo de fermentação, essas bactérias liberam enxofre, que é o causador do mau hálito. 

Por isso, acordar com esse problema é normal. Afinal, durante a noite, a boca produz menos saliva e, consequentemente, há maior liberação desse enxofre. 

Perceba que após passar muito tempo sem escovar os dentes isso também pode acontecer.

Por outro lado, durante as refeições há um atrito entre o palato e a língua. Isso ajuda a remover os resíduos nas papilas e as bactérias responsáveis pela fermentação. 

No geral, estima-se que entre 90 e 95% dos casos de mau hálito estejam ligados a problemas bucais. 

Doenças que causam mau hálito

Mulher com sinusite atacada.
Fonte: Canva

Por outro lado, existem também as causas sistêmicas que são responsáveis por cerca de 5% dos casos de halitose. Essas causas estão ligadas a problemas estomacais como refluxo gastroesofágico e eructação gástrica. Mas, vale ressaltar que esses casos são exceções. 

Além disso, algumas doenças que podem causar mau cheiro na boca, são:

  • Deficiências renais
  • Deficiência hepática
  • Diabetes
  • Inflamações e infecções na garganta
  • Problemas respiratórios
  • Sinusites

Ao sinal de qualquer uma dessas doenças, é importante consultar um dentista para averiguar a situação bucal e quais medidas podem ser tomadas para evitar o mau hálito.

  • Aproveite e nos siga no Google News para para saber tudo sobre Moda, Beleza, Famosos, Décor e muito mais. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News.

O que fazer para tirar o mau hálito?

Água diminui o mau hálito.
Fonte: Canva

Se você já viveu alguma situação constrangedora por conta do mau hálito, está na hora de acabar com esse problema. Sendo assim, separamos algumas dicas básicas sobre como acabar com ele. 

1. Beba bastante água 

Esse hábito faz com que aumente a produção de saliva e, consequentemente, haja um menor acúmulo de alimentos na língua. Portanto, o indicado é beber entre 1 e 2 litros de água por dia.

2. Evite ficar muitas horas sem comer

Mulher comendo e fazendo exercício para não ter mau hálito.
Fonte: Canva

Como dissemos anteriormente, quando a língua fica parada, há uma diminuição na produção de saliva e isso faz com que as placas bacterianas fermentem mais rápido.

3. Escovar os dentes e a língua

Mulher escovando a língua.
Fonte: Canva

Um bom hábito de higiene bucal é essencial para manter um bom hálito. Sendo assim, escovar os dentes e a língua e passar o fio dental previne não apenas contra esse problema, mas também contra cáries, gengivite, entre outros.

Além disso, vale a pena ir ao dentista regularmente para efetuar uma limpeza profunda na boca. Confira algumas dicas extra da Dra. Anamaria:

Dicas para evitar o mau hálito 

Mulher no dentista para prevenção do mau hálito.
Fonte: Canva

  1. Evite o consumo excessivo de alimentos ricos em gordura e muito calóricos;
  2. Beba cerca de 2 litros de água por dia. Afinal, a desidratação aumenta a incidência de cáries, doenças gengivais e mau hálito; 
  3. Ao perceber sintomas de gripe ou resfriado, consulte um médico e evite a automedicação;
  4. Diminua o consumo de cafeína e açúcar;
  5. Hábitos como fumar e ingerir bebidas alcoólicas aumentam a chance de ter câncer bucal e gengivite; 
  6. Prefira enxaguantes bucais sem álcool;
  7. Tente manter uma dieta equilibrada e saudável;
  8. Vá ao dentista regularmente.

Além disso, em épocas mais frias, como o inverno, é importante dar atenção aos lábios também. Afinal, nesta época do ano os lábios costumam ficar ressecados e rachados. 

Sendo assim, use e abuse dos protetores labiais. Neste caso, o consumo de água também ajudará na hidratação labial. 

“Além das dicas citadas, priorize um estilo de vida saudável, inclua bons hábitos de dieta e de higiene oral na sua rotina diária e visite regularmente o seu dentista. Assim você contribuirá para sua saúde geral, além de garantir um sorriso lindo, saudável e livre do mau hálito!” conclui a Dra. Bruna Conde.

  • Em seguida, confira Derrame ocular: entenda o diagnóstico da ex-BBB Patrícia Leitte

Conclusão 

Como resultado, o mau hálito é um problema que pode ser causado por problemas bucais ou estomacais. Por isso, é importante passar por avaliação de um dentista antes de tomar qualquer medida para acabar com o problema. 

Em conclusão, fazer escovações, ter uma alimentação saudável e manter-se hidratado são medidas que ajudam a prevenir contra o mau hálito. 

Sobre Bruna Conde 

Bruna Conde.
Fonte: Divulgação

Bruna Conde é cirurgiã dentista formada há 10 anos e já conta com um histórico de mais de 6.000 sorrisos realizados. 

Conhecida por sua postura humana e detalhista, a profissional realiza pessoalmente todos os tratamentos disponíveis em seu consultório.

Além disso, os protocolos realizados são escolhidos e baseados por meio de evidência científica e clínica em conjunto com o convívio social de pacientes, profissionais da saúde e mestres renomados. 

“Sou uma dentista antenada e busco estar ligada em tudo o que faz bem para a nossa saúde”, finaliza Bruna. 

  • Por fim, leia também Mindfulness: os benefícios da prática para a saúde física e mental