Varíola dos macacos: sintomas, diagnóstico e tratamento

Confira todas as informações que se sabe até o momento sobre a varíola dos macacos e veja como está a situação da doença no Brasil

Fonte: Canva

No Brasil, as autoridades de saúde já contabilizaram 2.293 casos . Portanto, nesta matéria, selecionamos as principais dúvidas sobre o tema:

  • O que é a varíola dos macacos?
  • Como é a transmissão?
  • Quais os sintomas da varíola dos macacos?
  • Qual o tratamento para varíola dos macacos?
  • Como se proteger da doença?
  • Vacina contra varíola
  • Varíola dos macacos no mundo
  • Casos de varíola dos macacos no Brasil

O que é varíola do macaco?

Vírus da varíola dos macacos no microscópio. Fonte: G1 Foto: Cynthia S. Goldsmith, Russell Regner/CDC via AP

Assim como a varíola humana, a dos macacos é uma doença causada por um vírus do grupo ortopoxvírus. Apesar de o nome fazer referência ao primata, não há evidências científicas de que o macaco tenha sido o primeiro transmissor da doença.

As primeiras notificações deste tipo de varíola se deram na África, especialmente a Ocidental e Central.

Entretanto, recentemente, o número de casos da doença aumentou em mais de 20 vezes. Pesquisadores acreditam que a causa para essa maior incidência seja a interrupção da vacinação contra a varíola, que ocorreu em 1980.

Como se pega a varíola dos macacos?

Related Post
Fonte: Canva

Nos últimos dias, profissionais da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, elaboraram uma lista com as três formas de transmissão da doença. São elas:

1. Contato com animal ou material infectado

Apesar de o nome da doença ser varíola dos macacos, ainda não se sabe qual o animal que possui o vírus. Entretanto, pesquisadores apontam que os roedores da África sejam os principais suspeitos pela transmissão às pessoas.

Portanto, arranhões ou mordidas desses animais são capazes de transmitir esse vírus. Além disso, o uso de produtos feitos com animais infectados e materiais contaminado também favorecem a disseminação da doença.

Ademais, compartilhar lençol, toalha ou roupas com alguém que esteja com a doença pode ser perigoso.

2. Pessoa para pessoa

Fonte: Canva

Os fluídos corporais de uma pessoa infectada propagam a doença. Sendo assim, pus, sangue, secreção respiratória, feridas, beijo e toque na ferida podem transmitir a varíola.

3. De mãe para filho

Além disso, outra forma de transmissão da varíola é por meio da placenta da mãe para o bebê ou ainda durante o contato da pele durante o nascimento da criança.

  • Aproveite e nos siga no Google News para para saber tudo sobre Moda, Beleza, Famosos, Décor e muito mais. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News

Quais os sintomas da varíola dos macacos?

Fonte: Canva

  • Febre;
  • Dores musculares;
  • Exaustão;
  • Dor de cabeça;
  • Dores nas costas;
  • Glânglios inchados.

Esses sintomas iniciais podem ser muito confundidos com a virose, especialmente se estiverem acompanhados de mal-estar e perda de apetite. Porém, entre o primeiro e o terceiro dia do início dos sintomas, começam a aparecer pequenas lesões na pele ou na boca.

Conhecidas também como erupções cutâneas, elas surgem primeiramente no rosto e depois se espalham pelo tronco, palma das mãos, sola dos pés e tórax.

De acordo com o CDC, as feridas passam por cinco estágios antes de caírem. Portanto, no geral, a doença dura entre 2 a 4 semanas.

Qual o tratamento para varíola dos macacos?

Até o momento, ainda não há comprovação de um tratamento específico contra essa doença. Por isso, o controle dos casos e a prevenção são tão importantes.

Portanto, as recomendações para os pacientes infectados são:

  • Repouso
  • Hidratação
  • Uso de medicamentos para aliviar os sintomas

Como prevenir a varíola?

Fonte: Canva

Enquanto não há tratamento específico, profissionais de saúde aconselham algumas medidas básicas de contenção da doença. Em resumo, trata-se de distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos.

  • Além disso, confira Tendinite: causas, sintomas e tratamento

Qual é a vacina da varíola?

Fonte: Canva

Após o anúncio de que alguns países estão vacinando a população contra a varíola, surgiu o questionamento: nós já estamos protegidos contra a doença?

Como dito anteriormente, a varíola dos macacos faz parte de um grupo de doenças, como a varíola humana, por exemplo. No Brasil, em 1904, com o aumento dos casos de varíola humana, o sistema de saúde desenvolveu uma vacina contra a varíola humana, que apesar de ser do mesmo grupo, não é a mesma coisa que a vacina dos macacos.

Graças à vacina, em 1971, a doença foi erradicada no Brasil. Porém, em 1980, a OMS recomendou que os países parassem com as campanhas de vacinação por conta da erradicação mundial.

Porém, como faz cerca de 50 anos que não há mais campanha no Brasil, o país não possui estoque suficiente para imunizar a população nascida após os anos 70, exceto profissionais da saúde.

Portanto, pessoas nascidas até 1971 muito provavelmente já foram imunizadas contra a varíola e estão relativamente protegidas da variante dos macacos.

Varíola dos macacos no mundo

Fonte: Canva

Até o momento, mais de 74 países já notificaram casos de varíola dos macacos. No entanto, embora tenha passado muito rapidamente para países nas Américas e na Europa, os países da África Ocidental e Central foram os primeiros a considerarem a doença como infecção viral endêmica.

Como medida preventiva, alguns lugares iniciaram campanha de vacinação contra a varíola humana. Ao mesmo tempo, a quarentena obrigatória também está sendo exigida em alguns lugares.

  • Você também pode gostar Mindfulness: os benefícios da prática para a saúde física e mental

Casos de varíola dos macacos no Brasil

Vermelho: casos suspeitos. Roxo: caso sendo monitorado. Fonte: Canva/Edição: Dana Diniz

No dia 12 e junho, o Ministério da Saúde informou que existiam três casos confirmados de varíola dos macacos no país. O último paciente é um homem de 51 anos, português que veio de viagem a Porto Alegre

Ele fazia parte do grupo de pessoas que estavam em monitoramento desde o final de maio. Segundo as autoridades de saúde, o homem está isolado em casa junto com seus familiares, seu quadro é estável.

Além disso, os outros dois pacientes com resultado positivo para varíola dos macacos estão em São Paulo e Rio Grande do Sul, todos fizeram viagens internacionais recentemente. Eles permaneceram isolados e foram monitorados.

Afinal, embora haja um grande número de pessoas já diagnosticadas, existem muitos casos subnotificados. Isso porque não há testes suficientes para fazer em todos que apresentem sintomas. Como resultado, o número pode ser ainda maior.

Por isso, o Ministério da Saúde estabeleceu alerta máximo para evitar a transmissão do vírus. Isso quer dizer que a doença é uma ameaça de impacto nacional. Na prática, o objetivo é alertar todos os órgãos que a varíola dos macacos precisa de máxima atenção.

Para acompanhar as atualizações sobre a varíola dos macacos e sobre outras doenças, acompanhe nosso canal de Saúde. Lá você também encontra dicas sobre alimentação saudável e chás que ajudam a curar de forma natural. Não perca!

Diana Diniz: Diana Diniz é jornalista apaixonada por novas experiências. Possui uma bagagem de conhecimento adquirido na Universidade do Algarve, em Portugal. Através do MBA em Marketing Digital e Especialização em Saúde pôde se aperfeiçoar na redação de artigos para blogs com embasamento científico e unir a experiência da profissão com sua paixão: a escrita.
Posts Relacionados