Óleos essenciais – Para que servem e como usar na saúde, beleza e bem-estar

Eles reúnem propriedades medicinais incríveis em uma concentração super potente. Descubra os benefícios e cuidados no uso dos óleos essenciais.

1.243

Quem é adepto dos produtos naturais certamente já ouviu falar dos óleos essenciais. Eles são a base da aromaterapia e também fazem muito sucesso em massagens ou até mesmo na rotina de beleza.

Descubra tudo sobre os produtos queridinhos da beleza natural:

 

Para que servem os óleos essenciais?

o que são óleos essenciais

 

Em primeiro lugar, cabe lembrar que não é de hoje que o uso de óleos essenciais faz sucesso. Muito antes da medicina moderna que conhecemos hoje, as plantas e seus poderes curativos já eram muito explorados, bem como as diferentes formas de extrair suas propriedades, como é o caso do potente alho e do chá de orégano e seu óleo essencial.

Hoje em dia eles fazem parte da aromaterapia e podem servir para acalmar ou estimular os sentidos, tratar de condições da pele, combater doenças infecciosas, repelir insetos e auxiliar no tratamento de doenças respiratórias. Como cada óleo essencial possui benefícios diferentes, o certo é dizer que eles atuam no tratamento físico, mental, emocional
e espiritual.

Independentemente do método de extração, um óleo essencial é extremamente concentrado e preserva os componentes ativos das plantas. Para se ter uma ideia, cada gota de óleo equivale a cerca de 24 xícaras da planta in natura.

Isso garante a eficácia, mas também é motivo de alerta. Se você nunca utilizou óleos essenciais naturais, preste bastante atenção nas dicas a seguir.

como usar óleos essenciais

 

 

O produto pode ser utilizado em difusão, inalação, massagem, escalda-pés, compressas aromáticas e blends específicos para pele ou cabelo. Embora a ingestão de óleos essenciais seja indicada em alguns casos, ela não deve ser feita sem orientação profissional, uma vez que nem todos os produtos são formulados para este fim.

Assim é seguro dizer que o uso dos óleos essenciais se dá por duas formas principais:

 

 

Você também pode gostar!

Difusão e inalação

 

Para começar, as duas formas mais conhecidas de uso. No primeiro caso, a recomendação é volatilizar o óleo essencial no ambiente onde as pessoas se encontram. De acordo com a Alkhemy Lab, a indicação é de diluir 3 gotas de OE em água a cada hora, por meio de difusor de ambiente

Isso, é claro, vai depender do óleo escolhido e também da orientação do fabricante ou aromaterapeuta. Um bom óleo para começar é o de Lavanda, que não é tóxico nem sensibilizante e ajuda a acalmar os sentidos, além de induzir o sono. Portanto, é o aliado perfeito para ser utilizado antes de dormir.

Já na inalação a recomendação é de 1 gota de OE para cada litro de água, com auxílio de um inalador. Alguns óleos essenciais, como o de Peppermint, são excelentes para aliviar os sintomas da rinite e de resfriados.

Já o óleo essencial Limpeza e Proteção, da Alkhemy Lab, é indicado para combater fungos e bactérias, ativar a circulação e ainda equilibrar disfunções emocionais e energéticas.

 

óleo essencial benefícios e cuidados

 

Aplicação tópica

 

De modo geral e com poucas exceções, os óleos essenciais devem ser utilizados sempre em diluição. Isso porque, apesar de serem ingredientes naturais, a alta concentração dos ativos pode provocar efeitos colaterais.

Recentemente, o óleo essencial de Melaleuca virou o queridinho da beleza natural, graças à sua ação fungicida e bactericida, que ajuda no controle da acne e também serve como secante de espinhas. Nesse caso, vale apostar na diluição com óleo de jojoba, outro grande aliado da pele.

Uma vez que os óleos essenciais são altamente concentrados, é sempre interessante consultar um fitoterapeuta ou aromaterapeuta antes de iniciar a aplicação tópica. Em caso de irritação, suspender o uso e procurar um médico.

 

Contra-indicações

 

Cada óleo essencial é único e possui suas especificidades. O óleo essencial de alecrim, por exemplo, deve ser evitado por pessoas que sofram de hipertensão arterial ou trombose. Grávidas e lactantes também devem sempre ter atenção redobrada com qualquer produto, seja ele natural ou sintético.

Portanto, é preciso ter cuidado e sempre conferir com fabricante todos os detalhes de uso, incluindo as contra-indicações.

Outro ponto muito importante é que, apesar de natural, a aromaterapia deve ser praticada com cautela e acompanhamento profissional, justamente para orientar a melhor forma de uso, quantidades e riscos.

 

você pode gostar também