Em meio a uma pandemia e ao surto de Influenza, priorizar a saúde se tornou essencial. Portanto, rever a alimentação a fim de garantir uma série de benefícios foi uma saúde para melhorar a qualidade de vida. Por isso, alimentos anti-inflamatórios passaram a ser tão procurados.

Basicamente, a ação anti-inflamatória pode ser encontrada em alguns alimentos naturais que são capazes de diminuir qualquer tipo de inflamação que é tão associada a variante da Covid-19, Ômicron, e pela Influenza.

Por isso, para diminuir os sintomas e fortalecer o sistema imunológico, vale a pena conhecer cada um desses alimentos e incluí-los na alimentação diária. Como resultado, trouxemos 10 alimentos anti-inflamatórios mais comuns e fáceis de achar.

Assim, não será preciso gastar fortunas com alimentos raros e caros. Então, aproveite e absorva cada uma dessas dicas.

Alimentos antiinflamatórios

Abacate

Em primeiro lugar, trouxemos o abacate, pois é uma fruta que é encontrada em todas as regiões do país.

Segundo estudos, entre os benefícios dessa fruta está a capacidade de reduzir inflamações da pele recém-formada. Isso tudo é graças a riqueza de potássio, fibras, magnésio e gorduras monoinsaturadas (que fazem bem ao coração) da fruta.

Além disso, pesquisadores encontraram no abacate compostos chamados de tocoferóis e carotenóides. Eles estão diretamente relacionados a redução do risco de câncer.

Um estudo feito com 51 adultos com excesso de peso apontou que os indivíduos que consumiram a fruta por 12 semanas tiveram redução considerável de marcadores inflamatórios (interleucina 1 beta e PCR).

Tomate

Aqui vai mais uma fruta popular que faz parte dos alimentos anti-inflamatórios.

Rica em potássio, vitamina C e licopeno, poucas pessoas sabem que o tomate é um importante antioxidante e que oferece propriedades anti-inflamatórias.

De acordo com pesquisadores, o licopeno, composto presente na fruta, rediz compostos pró-inflamatórios que estão relacionados a diferentes tipos de câncer.

Além disso, para potencializar a absorção do corpo ao licopeno, é importante fazer o consumo do tomate junto com uma fonte de gordura. Por exemplo, cozinhá-lo com azeite.

  • Siga o Fashion Bubbles no Google News para poder acompanhar tudo sobre Saúde direto no seu smartphone. É só clicar aqui, depois na estrelinha 🌟 lá no News

Chá verde

Se você é amante de chá, seja ele quente ou gelado, já deve ter ouvido falar que o chá verde é uma das bebidas mais saudáveis do mundo.

Estudos já apontaram uma série de benefícios da bebida. Entre eles, reduz o risco de: obesidade, doenças cardíacas, mal de Alzheimer, câncer, entre outros.

Em grande parte, o potencial do chá verde está relacionado às propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes presentes em uma substância chamada epigalocatequina-3-galato (EGCG).

Segundo estudos, a EGCG é responsável por diminuir a produção de citocinas pró-inflamatórias. Além disso, também diminui os dados aos ácidos graxos que estão presentes nas células.

  • Não perca Chá verde emagrece e ajuda no tratamento de doenças, diz estudo

Peixes gordos

O Brasil é um país muito rico em peixes. Por isso, não é um problema para encontrá-los e, dependendo da espécie, costuma se uma carne bastante acessível financeiramente.

Além disso, os peixes gordurosos são excelentes fontes de proteína, ômega-3 e uma série de ácidos que fazem bem à saúde. Alguns tipos que possuem uma quantidade robusta desses compostos são:

  • Sardinha
  • Salmão
  • Anchova
  • Cavalinha
  • Aranque

Dois dos ácidos presentes nessas espécies (EPA e DHA) ajudam a reduzir inflamações. Isso quer dizer que consumir esse alimento anti-inflamatório pode diminuir os riscos à saúde. Por exemplo, síndrome metabólica, diabetes, doenças cardíacas e doenças renais.

Segundo um estudo internacional, pessoas que consomem salmão apresentaram redução do marcador inflamatório.

Uva

A uva também não poderia ficar de fora deste especial de alimentos anti-inflamatórios.

Isso porque a fruta é uma importante fonte de resveratrol. Como resultado, ajuda a diminuir os riscos de inflamação do coração.

Além disso, estudos mostram que a uva oferece benefícios na redução do risco de ter diabetes, Alzheimer, doenças cardíacas, obesidade e distúrbio ocular.

Por outro lado, um estudo realizado com 60 pessoas portadoras de insuficiência cardíaca apontou que os que consumiam duas cápsulas de 50mg de resveratrol todos os dias durante 3 meses, tiveram diminuição dos genes inflamatórios.

Pimentão e pimenta

Se você é fã de pimenta ou pimentão, vai se surpreender com o quão bem esses alimentos fazer à saúde.

Em primeiro lugar, segundo pesquisadores, ambos são excelentes fontes de vitamina C e outros antioxidantes, que estão associados aos efeitos anti-inflamatórios.

O pimentão, independente da cor, é rico no antioxidante quercetina. Por isso, ele é capaz de reduzir inflamações que estão ligados a doenças crônicas. Um exemplo disso é a diabetes.

Já a pimenta contêm ácido ferúlico e sinápico, que são responsáveis por garantir um envelhecimento saudável e sem inflamações.

  • Não perca Horta orgânica: o que é, benefícios de cultivar e como se faz

Cogumelo shiitake

O cogumelo é um dos alimentos anti-inflamatórios menos calórico. Além disso, é uma excelente fonte de cobre, selênio e vitaminas do tipo B.

Mas o que realmente o qualifica como anti-inflamatório é a presença de fenóis e demais antioxidantes do cogumelo.

Pensando nisso, um grupo de pesquisadores decidiu avaliar qual a melhor forma de consumi-lo para aproveitar melhor seus benefícios. Como resultado, foi comprovado que o cozimento do cogumelo faz com que seus compostos anti-inflamatórios diminuam.

Por isso, a melhor forma de comer é apenas levemente cozidos ou cru.

Chocolate amargo

Se o mundo soubesse da quantidade de benefícios que o chocolate amargo oferece, ele seria mais consumido.

Os flavonóides são os principais responsáveis por garantir ao chocolate o efeito anti-inflamatório e antioxidante. Isso porque eles criam uma camada protetora de células endoteliais ao redor das artérias. Assim, as deixando mais saudáveis.

Esse efeito ajuda a diminuir o risco de uma série de doenças e, consequentemente, garantir um envelhecimento saudável.

Ademais, se você sofre de doenças vasculares, precisa incluir o chocolate amargo na dieta. Um estudo apontou que pessoas que consomem 350mg de flavonóides de cacau duas vezes ao dia, durante 2 semana, já apresentaram melhora na função vascular.

Azeite extra-virgem

Seja para temperar a salada ou preparar alimentos na panela, o azeite é uma das gorduras mais saudáveis do mundo.

Pesquisadores internacionais comprovaram que consumir 50ml de azeite extra-virgem durante um ano é capaz de reduzir de forma avassaladora os marcadores inflamatórios, inclusive a PCR.

Além disso, por conter gorduras monoinsaturadas, o azeite previne doenças como câncer cerebral e doenças cardíacas.

Porém, é importante destacar que os benefícios apresentados são maiores em azeite extra-virgem.

  • Você também pode gostar Mandioca: 10 benefícios do alimento para saúde + como consumir

Brócolis

Esse vegetal é um dos mais populares entre os alimentos anti-inflamatórios.

Um estudo indica que o consumo de vegetais crucíferos (incluindo vários tipos de couve), está ligado a diminuição do risco de câncer e doenças cardíacas. Como resultado, tais benefícios estão associados aos efeitos antioxidante e anti-inflamatório.

Ademais, o brócolis é fonte de sulforafano,  que é um antioxidante que atua na diminuição de moléculas inflamatórias.

Conclusão

Estes são apenas alguns dos alimentos anti-inflamatórios. Por fim, foi possível identificar que todos eles oferecem uma série de benefícios à saúde.

Portanto, além de serem acessíveis, não há com o que se preocupar ao adicioná-lo na dieta.

Porém, é importante destacar que nenhum deles é curativo ou que substitui qualquer tratamento médico ou medicamentos. Desta forma, consulte sempre um médico.

  • Por fim, leia também Suco Detox: mitos, benefícios e malefícios + 7 receitas