Cogumelo para o cérebro: 5 benefícios desse poderoso alimento

Muito mais que um simples alimento, o cogumelo consegue tratar doenças como ansiedade e depressão. Confira mais sobre o poder destes fungos

- Continue depois da Publicidade -

Você sabia que existem vários benefícios do cogumelo para o cérebro? Eles podem melhorar o sistema imunológico, regenerar nervos e até mesmo diminuir ansiedade e depressão.

Quer descobrir o que os fungos comestíveis podem fazer por nós? Confira, em seguida, como esse alimento favorece o sistema nervoso. Os benefícios foram apresentados no documentário “Fungos Fantásticos”, disponível na Netflix.

 

Quais são os benefícios do cogumelo para o cérebro?

 

Foto de cogumelos.
Benefícios do cogumelo para o cérebro. Fonte: Pexels

 

  • Logo depois, confira também Tudo sobre cogumelos: benefícios e tipos mais comuns do poderoso alimento

 

- Continue depois da Publicidade -

1. Estimulam a regeneração dos nervos

 

Segundo o que disse o micologista Paul Stamets no documentário “Fungos Fantásticos”, o juba de leão é um poderoso alimento que estimula a regeneração dos neurônios. O cogumelo tem formato globular que forma pingentes. Depois que é cozido, possui gosto de lagosta.

 

- Continue depois da Publicidade -

Foto de cogumelo juba de leão.
Fonte: Nosso Foco

 

Esta potência do cogumelo foi descoberta por um pesquisador japonês chamado Kawagishi. Um estudo realizado com ênfase no juba de leão mostrou quais são as propriedades encontradas neste tipo de cogumelo.

Além de tratar a gastrite superficial crônica, este fungo contém possui efeito antibiótico, antidiabético, antifadiga, anti-hipertensivo, cardioprotetor e hepatoprotetor. Ainda mais, tem compostos que melhoram a ansiedade, a função cognitiva e a depressão.

- Continue depois da Publicidade -

No vídeo em seguida, o Dr. Alain Machado Dutra conta detalhadamente 9 propriedades do cogumelo juba de leão. Ele é, então, um grande potencializador do cérebro.

 

 

  • Ao mesmo tempo, veja Para que serve chá de boldo: benefícios e cuidados

 

2. Melhoram a ansiedade e depressão

 

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, o Brasil está entre os países com maior número de casos de depressão e ansiedade.

Conforme apresentado no documentário “Fungos Fantásticos”, a psilocibina, substância presente em alguns cogumelos, pode ajudar no tratamento dessas duas doenças.

 

Fonte: Independent

 

Quando um tipo de cogumelo possui substâncias como a psilocibina, é considerado psicodélico. Isto é, conhecido também por cogumelo mágico.

No documentário, os indivíduos que participaram do estudo com o medicamento à base de cogumelo relataram que a experiência recalibrou a forma como eles viam a morte. Resultado ímpar, visto que a depressão está associada a altos índices de suicídio.

As indústrias farmacêuticas vêm dedicando mais pesquisas e recursos para fungos com essa substância.

No vídeo em seguida, da neuropsicóloga Nathalie Gudayol, confira como a psilocibina funciona no tratamento da depressão.

 

 

  • Enquanto isso, confira Chá de mulungu: benefícios, propriedades e como preparar

 

Veja ainda uma reportagem do “Fantástico” falando da propriedade psilocibina na cura da ansiedade e depressão:

 

 

 

3. Aumentam a imunidade

 

Em 2015, um estudo publicado pela Nature mostrou haver uma conexão direta entre o cérebro e o sistema imunológico.

O cogumelo do tipo reishi ou lingzhi é conhecido ainda por cogumelo da imortalidade. Isso porque tem o poder de fortalecer a imunidade, contribuindo com o sistema nervoso central.

 

Foto de cogumelo do tipo reishi.
Fonte: Amazon

 

São várias as substâncias com ação imunomoduladora presentes neste fungo. De acordo com uma pesquisa feita por Zhou Shufeng, as principais substâncias potentes existentes na espécie Ganoderma incluem polissacarídeos, proteínas e triterpenoides.

Assista, em seguida, uma reportagem da TV Revista Rural mostrando como é a produção do cogumelo reishi e outros tipos:

 

 

  • Enquanto isso, confira Mel com canela: para que serve, benefícios e como consumir

 

4. Protegem os mecanismos de defesa inatos do corpo

 

A penicilina, uma enzima que vem de fungos do gênero Penicillium, potencializa o efeito de antibióticos de uso comum.

 

Foto de cogumelo mycena rosea.
Esté é o mycena rosea, um dos tipos de cogumelos utilizados na pesquisa citada abaixo. Fonte: Ultimate Mushroom

 

Um estudo feito pelo Instituto Politécnico de Bragança mostrou que extratos de cogumelos silvestres que contêm essa enzima são resistentes à ampicilina, ciprofloxacina, trimetoprim, amoxicilina e clavulânico.

Estes são antibióticos utilizados no tratamento de infecções, como urinária, respiratórias, de pele e bacterianas.

Você também pode gostar!

- Continue depois da Publicidade -

Veja, no vídeo abaixo, a importância da penicilina e como foi a sua descoberta:

 

 

 

5. Ajudam agentes quimioterápicos a funcionar melhor

 

Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina de Bastyr mostrou que o fungo pode influenciar indiretamente na cura de câncer. A variedade utilizada foi o cogumelo cauda de peru, mais um tipo que fortalece o sistema imunitário

 

Fonte: Gaia Herbs

 

“Fungos Fantásticos” contou a história de uma das voluntárias desta pesquisa, a mãe do micologista Paul Stamets. Ela foi curada do câncer de mama com o auxílio de oito cápsulas de cauda de peru por dia.

Segundo um estudo publicado em 2007, o agente de grande potencial encontrado neste cogumelo consegue atuar, em part,e na restauração do equilíbrio de células importantes em pacientes com câncer.

O professor naturopatia Pedro Júnior conta, no vídeo em seguida, os efeitos dos cogumelos na prevenção de câncer.

 

 

 

Comer cogumelo todo dia faz mal?

 

Foto com vários tipos de cogumelos.
Fonte: Pexels

 

Não necessariamente. Os tipos de cogumelos mais comuns encontrados no Brasil, como shitake, shimeji, champignon e Portobello, podem ser ótimos aliados da saúde.

Contudo, há pessoas que podem ser alérgicas a eles. Nesses casos, a ingestão não é recomendada.

 

  • Veja também Chá de alecrim: 10 benefícios, para que serve e como preparar

 

Como identificar um cogumelo alucinógeno?

 

O estudo da micologia é explorado por muitos cientistas. Afinal, entender os fungos é importante para os humanos, os animais e a Terra em si.

Encontrar cogumelos alucinógenos é uma atividade muito difícil. Isso porque, a olho nu, não é possível identificar uma característica física que denuncie a presença de psilocibina.

 

Foto de cogumelo amanita muscaria.
Esté é o cogumelo amanita muscaria, um dos tipos venenosos que podem levar à morte. Fonte: Pexels

 

  • Enquanto isso, confira Chá preto: benefícios, malefícios e receitas quentes e geladas

 

Contudo, é muito comum encontrar esses fungos (alucinógenos ou não) em gramados, em pé de árvores, em florestas como um todo.

O professor de biologia Luiz Harmed, no vídeo abaixo, fala sobre alguns fungos venenosos que podem matar:

 

 

 

Onde encontrar cogumelo bom para o cérebro?

 

Quer aproveitar os nutrientes do alimento? Então, você pode consumi-lo in natura. Contudo, juba de leão, reishi e outros tipos de cogumelo para o cérebro podem não ser tão fáceis de achar. Por isso, é possível ingeri-los na forma de cápsulas. Elas podem, assim, ser adquiridas em lojas online.

 

Foto de cápsulas.
Fonte: Pexels/ Pexels. Montagem: Laila Lopes

 

No entanto, é de extrema importância estar atento às contraindicações de cada um desses fungos. Confira, em seguida, mais detalhes.

 

Contraindicações

 

  • Reishi: contraindicado para mulheres grávidas ou amamentando, pessoas com problemas na bexiga ou no estômago, com pressão alta ou baixa, em tratamento de quimioterapia, quem fez cirurgia recente e usa remédios que afinam o sangue;
  • Juba de leão: evite se estiver usando Paclitaxel para tratar câncer;
  • Cauda de peru: não pode ser utilizado como tratamento de câncer de primeira linha, somente como um complemento.

Embora tenha muitos benefícios para a saúde mental, a substância psilocibina pode levar à intoxicação. Por isso, é importante introduzi-la como medicamento apenas com a recomendação de um médico.

Além disso, leve em consideração procurar um profissional da saúde antes de inserir na sua rotina alimentar qualquer comida com a qual não esteja habituado. Isso porque sempre estamos sujeitos a doenças alérgicas.

 

  • Enfim, leia Óleo de alho: Um aliado no combate à infecções virais respiratórias

 

Cogumelo para o cérebro: conclusão

 

Os benefícios do cogumelo para o cérebro e para o corpo humano são inúmeros. Em resumo, estes alimentos podem turbinar a imunidade, estimular a regeneração dos nervos e amenizar ansiedade e depressão. Ainda mais, ajudam agentes quimioterápicos a funcionar melhor.

Segundo estudos, alguns cogumelos podem fornecer tais benefícios. São eles: cauda de peru, juba de leão, reishi ou lingzhi e as variedades que contêm as substâncias penicilina e psilocibina.

Contudo, é indispensável a atenção à procedência do alimento. Assim, evitam-se problemas de saúde como intoxicação.

 

  • Por fim, confira Chá-verde emagrece e ajuda no tratamento de doenças, diz estudo

- Continue depois da Publicidade -

você pode gostar também

“Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência. Ao utilizar nossos serviços, você concorda.” Tudo bem Mais detalhes